Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6566
Título: Análise cariotípica em Lonchorhina aurita e Trachops cirrhosus (Chiroptera: Phyllostomidae) usando diferentes técnicas citogenéticas
Autor(es): Maria Duarte do Rêgo Barros, Helen
Palavras-chave: RON;Fluorocromos;Bandeamento cromossômico;Citogenética;Chiroptera
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Duarte do Rêgo Barros, Helen; José de Souza Lopes, Maria. Análise cariotípica em Lonchorhina aurita e Trachops cirrhosus (Chiroptera: Phyllostomidae) usando diferentes técnicas citogenéticas. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Genética, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: Neste trabalho foram estudadas cromossomicamente as espécies de morcegos Phyllostomidae Lonchorhina aurita (Lonchorhininae) e Trachops cirrhosus (Phyllostominae). Diferentes técnicas citogenéticas foram usadas, incluindo análise convencional, bandeamentos G, C, coloração com nitrato de prata e fluorocromos base específicos. Dados da análise convencional obtidos para L. aurita e T. cirrhosus revelaram constituição cariotípica de 2n=32,XY (NF=60) e 2n=30,XY (NF=56), respectivamente. Estes resultados estão de acordo com aqueles descritos na literatura, exceto pela morfologia dos cromossomos sexuais, indicando variação cromossômica geográfica para essas espécies. Adicionalmente, sugere-se que a morfologia acrocêntrica do cromossomo X de T. cirrhosus constitui um caráter autapomórfico e possivelmente foi originada a partir de uma inversão pericêntrica. O bandeamento C revelou padrão pericentromérico de distribuição da HC em todos os autossomos e no X. O cromossomo Y foi quase totalmente heterocromático nas duas espécies. A coloração com AgNO3 revelou RONs localizadas no braço curto do par 13 em L. aurita e no braço longo do par 11 em T. cirrhosus. Nas duas espécies a coloração CMA3/DA/DAPI revelou padrões de bandas R evidenciados pelo CMA3, enquanto que o fluorocromo DAPI mostrou uma coloração uniforme em todos os cromossomos. As regiões heterocromáticas pericentroméricas de alguns cromossomos apresentaram uma marcação CMA3 +. A coloração seqüencial AgNO3/CMA3/DAPI revelou que as RONs são CMA3 positivas em L. aurita e CMA3 neutras em T. cirrhosus, indicando uma heterogeneidade quanto à composição de bases da HC nas RONs
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6566
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Genética

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6282_1.pdf1,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.