Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6559
Título: Sustentabilidade de áreas com horticultura no sistema orgânico e no convencional e seu impacto nas condições sócio-econômicas da comunidade de assentados na bacia do Rio Natuba PE
Autor(es): MIRANDA, Edson Carneiro de
Palavras-chave: Matéria orgânica do solo; Estoque de carbono orgânico total; Carbono lábil; Índice de manejo de carbono
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Carneiro de Miranda, Edson; do Socorro Bezerra de Araújo, Maria. Sustentabilidade de áreas com horticultura no sistema orgânico e no convencional e seu impacto nas condições sócio-econômicas da comunidade de assentados na bacia do Rio Natuba PE. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: A matéria orgânica é o melhor atributo para o monitoramento da sustentabilidade dos sistemas agrícolas, pois é o que melhor representa a qualidade do solo, e o seu declínio ao longo do tempo poderá conduzir a exploração agrícola a uma situação insustentável econômica e ambientalmente. Na sub-bacia do Médio Natuba, em Pernambuco, foi determinada a sustentabilidade de áreas com horticultura no sistema de produção orgânico e no sistema convencional e avaliado o impacto desses sistemas na geração de renda da comunidade de assentados. Foram aplicados questionários sócio-econômicos e determinados os estoques de carbono orgânico total (COT), carbono lábil (CL), carbono não-lábil (CNL) e o Índice de Manejo de Carbono (IMC), em seis áreas com horticultura orgânica e seis com horticultura convencional e em uma área sob vegetação nativa tida como referência - em duas profundidades, 0-5 e 5-20 cm, em solo denominado de Argissolo Amarelo. O COT foi determinado pelo método de oxidação úmida-difusão. O CL foi quantificado por meio de oxidação com KMnO4. O CNL foi obtido pela diferença entre o COT e o CL. Não houve diferença significativa entre os sistemas quanto aos valores de COT, estoque de COT e CNL. Já para o CL houve uma aumento na camada 5-20 do sistema orgânico. Nenhum dos dois sistemas de produção superou em média o IMC da área de referência, mas o sistema orgânico foi o que mais se aproximou do índice. A horticultura orgânica mostrou-se mais rentável do que a horticultura convencional e mais ambientalmente sustentável. O IMC se mostrou uma ferramenta eficiente para diferenciação de áreas com estoques de COT semelhantes, ao levar em consideração o carbono lábil
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6559
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6473_1.pdf3,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.