Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6533
Title: Biodegradação de biodiesel de algodão em ambiente aquático
Authors: Fernanda Alves da Rocha, Márcia
Keywords: Biodegradação aeróbia;Biodiesel;Cinética
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Fernanda Alves da Rocha, Márcia; Maria Sarmento, Sandra. Biodegradação de biodiesel de algodão em ambiente aquático. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: O biodiesel (B100) é um combustível alternativo ao óleo diesel (B0). Misturas de B100 com o B0 (misturas BX) têm sido formuladas em frações volumétricas de B100. O impacto do B100 e misturas BX sobre o meio ambiente é de grande interesse devido à possibilidade da ocorrência de derramamentos. Há poucos estudos sobre a biodegradação do B100 em ambiente aquático que é eficiente para limpar o meio ambiente contaminado com compostos orgânicos, sendo a seleção de micro-organismos capazes de degradar tais substâncias uma das etapas-chaves. O método do indicador redox 2,6-diclorofenol-indofenol (DCPIP) foi testado para se avaliar o potencial que alguns micro-organismos apresentam para degradar B100 de diversas origens e suas misturas BX desenvolvido em placa multi-poços tipo Elisa por P. aeruginosa, E. coli, B. subtilis, S. aureus , S. lutea, S. cerevisiae, R. mucilaginosa, Candida sp , C. lipolytica ,A. niger, F. moniliforme e T. wortmanii. A P. aeruginosa e a S. cerevisiae apresentaram maior potencial em degradar todos os B100 estudados e suas misturas BX. Os consórcios (P. aeruginosa + S. cerevisiae, P. aeruginosa + Candida sp, P. aeruginosa + A. niger, S. cerevisiae + Candida sp, S. cerevisiae+ A. niger, Candida sp + A. niger) tiveram seu potencial de degradação avaliados que levaram a um aumento do potencial degradador de B100 quando apresentados isoladamente, assim como, estendeu a capacidade de biodegradação para o B0. A biodegradação aeróbia do B100-de algodão (A), B0 e sua mistura B5 pelo consórcio de P. aeruginosa e S. cerevisiae não-aclimatados, com concentrações celular iniciais de 108 UFC.cm-3, foi avaliada em microscomos formado por frascos de Erlenmeyers de 2000 cm3 a temperatura e velocidade de agitação controladas em 30ºC e 120 rpm, respectivamente. Acompanhou-se o processo durante 35 dias, sendo as amostras colhidas a cada 7 dias ,quantificados o pH, a composição dos ésteres metílicos de ácidos graxos, EMAG, (para o B100) dissolvidos nas amostras líquidas e a concentração de células viáveis. Os cromatogramas obtidos mostraram que o B100-A composto inicialmente pelos EMAG C16:0,C18:0,C18:1 e C18:2 apresentou variação de sua composição ao longo do processo, sendo o ácido linoléico (C18:2) totalmente degradado nos C16:0, C18:0 nos primeiros 7 dias do processo. Ao final dos 35 dias de processo os micro-organismos não foram capazes de mineralizar o B100-A. A redução do pH do meio relaciona-se com as reações de degradação na mistura reagente, podendo ser usado como um sensor para acompanhar o processo de biodegradação do B100 e misturas BX. Com relação aos B0 e B5, a redução do pH da mistura reagente ao longo do processo indicou que no consórcio, também foi capaz de degradar o B0 em compostos de caráter ácido, e que o B5 apresentou maior rendimento de processo. Foram obtidas as taxas de reação em tempo tendendo a zero, constante de velocidade para os EMAG e a biomassa
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6533
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo2901_1.pdf3.15 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.