Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/651
Title: A vegetação em afloramentos rochosos no Semi-Árido: diversidade e respostas ao ambiente
Authors: Ruth Gomes dos Santos, Polyhanna
Keywords: Ilhas de vegetação; Inselberg; Caatinga
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Ruth Gomes dos Santos, Polyhanna; Vinícius da Silva Alves, Marccus. A vegetação em afloramentos rochosos no Semi-Árido: diversidade e respostas ao ambiente. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: Este trabalho tem por objetivo analisar a composição florística e a estrutura em dois afloramentos rochosos, localizados no semi-árido de PE, Nordeste do Brasil. Também foi testada a possível relação entre a vegetação estudada e quatro variáveis ambientais: área, profundidade do solo, inclinação da rocha e localidade. Ao todo foram encontradas 201 espécies de plantas vasculares, sendo Fabaceae (18spp.; 9%), Asteraceae (17 spp.; 8,5%), Orchidaceae (13 spp.; 6,5%), Euphorbiaceae (12spp.; 6%), Bromeliaceae (10spp.; 5%) e Poaceae (8spp.; 4%) as famílias com maior número de espécies. Três das espécies encontradas são restritas a afloramentos rochosos da região. Foram contabilizados 1795 indivíduos pertencentes a 63 diferentes táxons. A maioria das espécies que apresentaram muitos indivíduos teve freqüência baixa nas parcelas e vice-versa. A similaridade de Jaccard entre as localidades foi de 0,347. Os valores do índice de diversidade foram H: 2,572 e H: 2,547 nats/indivíduo. A área é único fator que influencia significativamente a riqueza e abundância, porém é não significativo para composição. Essa mostrou relação com todas as outras variáveis. Assim, as espécies apresentam preferências por determinados tipo de topografia e profundidade do solo. As famílias que predominaram na flora são também comuns e ricas em afloramentos e também na vegetação dos arredores. No entanto, a presença de espécies restritas é indicativa da peculiaridade desses ambientes. Comparando o valor do índice de similaridade com os de outros estudos, pode-se inferir que as duas áreas compartilham flora similar. A diversidade é comparável a afloramentos e a vegetação herbácea da região. Ilhas de vegetação com maior área apresentam uma série de peculiaridades que permitem que elas apresentem mais espécies, como maior quantidade de micro-sítios. Com base na regressão múltipla e na CCA, possivelmente a inclinação e a profundidade do solo não determinam quantas espécies e quantos indivíduos colonizarão determinada ilha, mas sim quais serão essas possíveis espécies. Essa associação entre o conjunto florístico com a topografia e com as características edáficas apóia muitas observações descritivas em afloramentos rochosos. Porém, como a CCA mostra que a maior porcentagem da variação das espécies é explicada pela localidade, possivelmente variáveis externas as análises devem estar também afetando a vegetação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/651
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4338_1.pdf4.99 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.