Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6507
Título: Diagnóstico da evolução de algumas espécies químicas e matéria orgânica, em perfil sedimentar holocênico no estuário do rio Manguaba, Estado de Alagoas
Autor(es): Maria do Rego Barros Fernandes de Lima, Marta
Palavras-chave: Razão C/N; Estuário; Geoquímica; Contaminação antrópica; Matéria orgânica
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria do Rego Barros Fernandes de Lima, Marta; de Albuquerque Menor, Eldemar. Diagnóstico da evolução de algumas espécies químicas e matéria orgânica, em perfil sedimentar holocênico no estuário do rio Manguaba, Estado de Alagoas. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: A área estuarina do rio Manguaba, situada no litoral norte do Estado de Alagoas, Nordeste do Brasil, é dominada por cultivos de cana-de-açúcar, e apresenta baixos índices de industrialização e densidade demográfica. Ambientes desse tipo oferecem grande diversidade para colonização, refúgio e criadouro de espécies economicamente importantes, mas vêm sofrendo progressivo assédio antrópico. A evolução geoquímica sub-recente registrada em sedimentos desse estuário foi investigada a partir de perfil de fundo (60cm), por intervalos de 3cm. As amostras foram submetidas a análises químicas (óxidos fundamentais e 40 elementos-traço), determinações CN- H-S em matéria orgânica preservada (MOP), e tratamento estatístico, destacando-se espécies químicas metálicas e suas relações com frações componentes dos sedimentos. As espécies metálicas apresentaram, em geral, concentrações abaixo ou próximas daquelas reportadas na literatura para ambientes considerados não impactados. Entretanto, no sentido da atualidade, foram constatados aumentos progressivos dos seus teores e da fração argilomineral, com quem se correlacionam melhor do que com a MOP. Esse comportamento é marcado por conspícua dicotomia no padrão C/N, individualizando assinaturas geoquímicas dependentes da granulometria sedimentar e de diferenças hidrodinâmicas, em um contexto deposicional essencialmente organo-siliciclástico. Permanece indefinido se essas diferentes assinaturas seriam estratigráficas (regionais), ou apenas condicionadas ao regime sedimentar particular desse estuário. Um monitoramento ambiental deverá considerar a progressão nos teores de Cr-As-Pb, que já alcançam níveis preliminares de advertência segundo controles mais rígidos de qualidade. Apesar disso, o atual status trófico credencia esse estuário como ambiente com baixo nível de contaminação geoquímica, ou padrão para estudos geoquímicos e ecotoxicológicos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6507
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6789_1.pdf695,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.