Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6474
Title: Estrutura e análise espaço temporal da vegetação do manguezal do Pina, Recife-PE : subsídios para manejo, monitoramento e conservação
Authors: Gomes Barbosa, Fernanda
Keywords: Ecossistema Manguezal; Caracterização; Dinâmica; Gestão Ambiental
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Gomes Barbosa, Fernanda; Fernanda Abrantes Torres, Maria. Estrutura e análise espaço temporal da vegetação do manguezal do Pina, Recife-PE : subsídios para manejo, monitoramento e conservação. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Localizado na porção sul da cidade do Recife, o Manguezal do Pina tem sido apontado como uma das maiores manchas de manguezal em área urbana do Brasil. Embora já conhecida sua importância sócio-ecológica, este ecossistema vem sofrendo com os usos inadequados como a ocupação desordenada, acúmulo de resíduos sólidos, cortes da vegetação, pesca predatória, além da pressão do setor imobiliário e viário. A fim de avaliar as transformações ocorridas no Manguezal do Pina em relação às áreas ocupadas pelo bosque de mangue e à dinâmica das ocupações urbanas, a presente pesquisa buscou fazer uma análise espaço temporal a partir de imagens de satélite (LANDSAT 5 e 7 TM) dos anos de 1987, 1991 e 2008, utilizando o Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI). Para efetivar os dados obtidos das imagens foi realizado um estudo de caracterização estrutural e funcional do bosque a partir da metodologia de parcelas múltiplas. A análise da variação espaço temporal mostrou que a área ocupada por vegetação de mangue abrangia 187ha no ano de 1987, com retratação dos seus limites no ano de 1991, passando para 154ha, porém apresentando um aumento em 2008 para 215,9ha. No que se refere às áreas urbanas e solo exposto houve um aumento de 41,81ha no manguezal e seu entorno ao longo das três décadas analisadas. Estes dados estão relacionados a processos desestabilizadores e de regeneração em determinados períodos. Os resultados da caracterização estrutural e funcional sugeriram diferentes mosaicos de paisagens ambientais, onde as espécies não seguiram um padrão de distribuição definido, tendo Laguncularia racemosa (L.) C.F. Gaertn apresentado a maior densidade e dominância relativas, seguida de Rhizophora mangle L. e, em menores proporções, de Avicennia schaueriana Stapf. & Leechman. A análise estrutural indicou valores de densidade de troncos vivos chegando a atingir 2.850ind/ha, porém algumas parcelas apresentaram baixa densidade em função do elevado número de cortes de árvores, como verificado na parcela A2. O presente trabalho demonstrou sua viabilidade para estudos que tratem da dinâmica em áreas de mangue, sendo imprescindível para o manejo, monitoramento e, principalmente, para a conservação destas áreas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6474
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo481_1.pdf3.82 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.