Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/643
Título: Fenologia de duas espécies de pteridófitas (Blechnaceae Monilophyta) na Floresta Atlântica Nordestina
Autor(es): MIRANDA, Anacy Muniz
Palavras-chave: Blechnum; Brejo de Altitude; Pernambuco; Fenofases; Sazonalidade.
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Muniz Miranda, Anacy; Carneiro Leão Barros, Iva. Fenologia de duas espécies de pteridófitas (Blechnaceae Monilophyta) na Floresta Atlântica Nordestina. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: Blechnum brasiliense e Blechnum occidentale são pteridófitas de hábito terrestre, de distribuição geográfica tropical e subtropical. O presente estudo teve como objetivos monitorar populações de cada uma dessas espécies, durante 12 meses, determinar a distribuição espacial, além de correlacionar a produção de frondes e o desenvolvimento dos esporófitos com parâmetros climáticos (pluviosidade mensal, temperatura média, umidade relativa do ar). O estudo foi realizado na Mata da Reserva, no município de Bonito, Pernambuco Brasil. Ambas as populações apresentaram padrão de distribuição agregado. A população de Blechnum brasiliense apresentou um ritmo sazonal da produção, senescência e taxa de expansão foliar e apresentou correlação significativa apenas com a pluviosidade. Blechnum occidentale apresentou sazonalidade apenas na produção e liberação de esporos, demonstrou correlação inversa com a pluviosidade. As taxa de produção de frondes de Blechnum brasiliense e Blechnum occidentale correspondem às de outras espécies de porte similar. A produção de esporos das duas espécies se concentra na estação seca (setembro a maio). Em Blechnum occidentale há sincronia na produção e liberação de esporos. Há uma assincronia na liberação de esporos em Blechnum brasiliense, o que pode contribuir para o aproveitamento de um maior número de microhabitats recém expostos e evitar a perda total da produção, em período desfavorável. Os dados apresentados no presente estudo podem contribuir para estratégias de manejo e conservação da área
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/643
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4336_1.pdf705,73 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.