Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6377
Título: Personalismo ético e trabalhado em Max Scheler como fundamentos de uma ética social
Autor(es): Jandira Varela de Araújo, Luiza
Palavras-chave: Trabalho; Personalismo; Ética Social; Cosmovisão; Metafísica
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Jandira Varela de Araújo, Luiza; Luiz Martins da Silva, Washigton. Personalismo ético e trabalhado em Max Scheler como fundamentos de uma ética social. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: A dissertação, apoiada na antropologia scheleriana, tem como intuito verificar o personalismo e o trabalho apontados para o âmbito metafísico, assim entendido por Max Scheler, em que se dá a passagem do homem do estado de natureza para o estado cultural. Parte-se da investigação dos conceitos de pessoa e ato, conduzida pelo nosso autor sob o enfoque fenomenológico de Edmund Husserl, e a sua relação com a cultura, tendo a filosofia do trabalho como fio condutor. Pontuamos, também, as concordâncias e divergências que são apontadas, primeiro, entre Scheler e Ernst Cassirer quanto a ato e sentido como correlativos da cultura; e, segundo entre Scheler e o entendimento de ato e potência por Tomás de Aquino no qual é ressaltada a relação entre ser e essência. É nesse ponto que, antropologicamente, foi observado que se instala uma possível correspondência da atividade POIÉTICA, a partir de registros de Aristóteles principalmente na ÉTICA A NICÔMACO e na METAFÍSICA, com a moderna noção do trabalho. Nosso enfoque situa-se neste horizonte e percorremos o caminho da Filosofia do Trabalho scheleriana no sentido daquele âmbito metafísico em que, pragmaticamente, o homem realiza a passagem de um estado (natureza) a outro (cultura) e tentar compreender como esse homem, ao realizar essa compenetração espírito e vida, torna-se pessoa que existe exclusivamente na realização de seus atos. Registramos, por fim, a possibilidade acenada pelo filósofo da passagem de uma metafísica de âmbito fenomenológico-eidético para uma metafísica que se pode denominar de prático-poiética, a partir da sua contribuição à teoria da percepção em que integra os princípios pragmáticos e fenomenológicos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6377
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Filosofia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6817_1.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.