Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6324
Title: Sedimentologia e quimioestratigrafia isotópica de carbono e oxigênio da transição cretáceo - paleógeno em rochas carbonáticas, bacia da Paraíba, nordeste do Brasil
Authors: Valberlândia do Nascimento Silva, Maria
Keywords: Transição K-T; Microfácies; Isotopos de C e O; Nordeste do Brasil; Quioestratigrafia; Estratigrafia de mercúrio; Elementos terras raras; Anomalia de Ce.
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Valberlândia do Nascimento Silva, Maria; Nóbrega Sial, Alcides. Sedimentologia e quimioestratigrafia isotópica de carbono e oxigênio da transição cretáceo - paleógeno em rochas carbonáticas, bacia da Paraíba, nordeste do Brasil. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: A Bacia da Paraíba, localizada no nordeste do Brasil, contém uma sucessão carbonática completa com registros da transição Cretáceo Paleógeno, englobando as formações Itamaracá (Campaniano), Gramame (Maastrichtiano) e Maria Farinha (Daniano). Nesta pesquisa foram estudados o comportamento de isótopos de C e O, elementos maiores e traços, química de elementos terras raras e mercúrio de três poços (Itamaracá, Poty e Olinda). As microfácies destas sucessões são representadas por arenitos calcíferos, calcários dolomíticos com siliclastos e calcários dolomíticos (Formação Itamaracá), wackestone, packstone e mudstone (formações Gramame e Maria Farinha). A deposição desses carbonatos iniciou-se durante uma transgressão marinha no final do Campaniano. Dos resultados isotópicos deduziu-se que durante o evento transgressivo no qual se depositou a Formação Itamaracá, o clima era relativamente frio. Aumento de temperatura e bioprodutividade foram registrados no início do Maastrichtiano (Formação Gramame) e queda gradual durante o resto desse período. Observou-se excursão positiva de δ13C (+2 ) próximo a passagem Cretáceo-Paleógeno, seguida de queda para valores em torno de +1 após essa passagem com um aumento de SiO2 e Al2O3 associado ao influxo de terrígenos. Após essa passagem iniciou-se um período de regressão marinha, queda da biprodutividade registrado nos resultados de δ13C (+1 ) e sedimentos carbonáticos com altas razões de Mg/Ca possivelmente depositados em ambiente marinho raso. No poço Poty, observa-se anomalias negativas de δ13C, possivelmente relacionadas a múltiplos impactos/vulcanismo que antecederam a transição Cretáceo-Paleógeno. No poço Itamaracá há um aumento de mercúrio após a transição K-T, e nos poços Poty e Olinda este enriquecimento é encontrado antes e após essa transição, sugerindo registro de vulcanismo/impactos de meteoritos antecedendo o K-T. Elementos terras raras permitem fazer a reconstrução do paleoambiente de deposição destes carbonatos, comprovando a origem marinha e as condições de deposição, tanto na passagem Campaniano-Maastrictiano quanto na passagem Cretáceo- Paleógeno. Ausência a fraca anomalia positiva de Ce (-0,1 e 0,002) próxima do K-T coincide com queda nos valores de δ13C (2,3 para 1,8 ) seguida do aumento destes para 2,3 , e aumento na concentração de mercúrio (de 0,4 para 2.7 ng.g−1). Presença de nódulos de pirita, associado com fraca anomalia de Eu apontam para condições anóxicas próximas ao K-T
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6324
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Geociências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo5700_1.pdf7.26 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.