Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6299
Title: Estudo socioambiental dos naufrágios da plataforma continental de Pernambuco - Brasil: contribuição para a formulação de políticas ambientais e manejo de recifes artificiais marinhos na costa do Estado de Pernambuco
Authors: SANTOS, Douglas Henrique Cavalcanti dos
Keywords: Fitoplâncton;Pesca artesanal;Mergulho;Turismo ecológico;Gestão ambiental;Recife artificial
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Henrique Cavalcanti dos Santos, Douglas; Zanon de Oliveira Passavanté, José. Estudo socioambiental dos naufrágios da plataforma continental de Pernambuco - Brasil: contribuição para a formulação de políticas ambientais e manejo de recifes artificiais marinhos na costa do Estado de Pernambuco. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Gestão e Políticas Ambientais, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Abstract: Devido ao grande número de embarcações afundadas em sua costa, a cidade do Recife, Pernambuco, é também conhecida, nacionalmente, como a Capital dos Naufrágios. A partir do momento em que essas estruturas se assentam no fundo marinho é criado um novo ecossistema (atualmente denominado de recife artificial) colonizado por algas marinhas e até grandes vertebrados. A importância desses recifes artificiais abrange tanto a questão ecológica (incremento da biomassa de organismos marinhos) como socioeconômica (alavanca a indústria do turismo subaquático e sustenta pequenas comunidades pesqueiras tradicionais) da região. A pesquisa balizou-se em estudar as interações entre os usuários dos naufrágios (mergulhadores e pescadores) enfocando as políticas ambientais sobre o assunto, e no aspecto biológico, avaliou a composição fitoplanctônica e sua biomassa relacionada com parâmetros abióticos, como indicador da qualidade ambiental dos recifes artificiais da plataforma continental de Pernambuco. A pesquisa social foi conduzida entre os meses de dezembro de 2005 e janeiro de 2006, com 33 mergulhadores entrevistados em operadoras de mergulho e 21 pescadores na comunidade de Brasília Teimosa, no Recife, e Bairro Novo, em Olinda. O instrumento utilizado nas entrevistas foram questionários previamente elaborados e conversas informais. O estudo ambiental transcorreu nos meses de maio a julho, novembro e dezembro de 2005 e janeiro de 2006, com a realização de 12 mergulhos para coleta de dados, sendo seis no Naufrágio Servemar-X e seis no Servemar-I, localizados na plataforma continental, em frente à cidade do Recife, distantes 12km e 9km da costa, respectivamente. Para esse estudo, foram analisados parâmetros climatológicos (precipitação pluviométrica, velocidade e direção do vento), hidrológicos (transparência da água, salinidade, pH e temperatura) e biológicos (clorofila a e composição microfitoplanctônica). As coletas do microfitoplâncton foram realizadas através de arrastos ao redor dos naufrágios com rede de plâncton com 1m de comprimento, 0,30m de diâmetro de boca e abertura de malha de 45μm. Os resultados da pesquisa social evidenciaram o conflito de interesses entre os usuários dos naufrágios, indo de encontro com o objetivo principal Decreto Estadual nº 23.394/01 de proteger e preservar os naufrágios. Por parte dos pescadores, mesmo com a proibição regulamentada pelo Decreto, esses continuam praticando a pesca nos naufrágios; e os mergulhadores e operadoras, livres para usufruir dos recifes artificiais, em grande parte, ainda demonstram carecer de uma conscientização ambiental e de um ordenamento quanto à visitação das áreas. No aspecto biológico, a biomassa do fitoplâncton, clorofila a, na profundidade dos dois naufrágios variou entre 0,61mg.m-3, em novembro, e 5,97mg.m-3, em julho e janeiro, ambos no Servemar-X, valores que evidenciam o caráter mesotrófico da área. A comunidade microfitoplanctônica esteve representada por 80 táxons, destacando os grupos das diatomáceas (66,25%), seguida dos dinoflagelados (18,75%), cianofíceas (12,50%), clorofíceas (1,25%) e euglenofíceas (1,25%). A diversidade específica foi considerada alta, com os táxons bem distribuídos, sobressaindo a espécie Trichodesmium thiebautii (Gomont), característica de região oceânica, indicando que a flora planctônica na área apresenta-se bastante diversificada e com características de uma região de plataforma continental
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6299
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Gestão e Políticas Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8123_1.pdf5.32 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.