Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6266
Title: Estudos sedimentológico, morfológico e hidrodinâmico do Canal de Santa Cruz PE
Authors: Silva, Lucimary Albuquerque da
Keywords: Sedimentologia;Composição;Hidrologia;Batimetria;Correntometria;Canal de Santa Cruz
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Albuquerque da Silva, Lucimary; Maria Mafra Valença, Lúcia. Estudos sedimentológico, morfológico e hidrodinâmico do Canal de Santa Cruz PE. 2008. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: O Canal de Santa Cruz é um sistema estuarino com 22 Km de extensão, abrangendo uma área de 36,3 Km2, com duas conexões com o mar. Localiza-se no litoral norte pernambucano e separa a Ilha de Itamaracá do continente. Nele desembocam um conjunto de rios e riachos, sendo os principais os rios Itapessoca, Carrapicho, Botafogo e Igarassu. O ecossistema apresenta uma biota característica de manguezal que foi muito destruída pela ação antrópica, sobretudo através de desmatamento e pesca indiscriminada. Este trabalho objetivou o estudo sedimentológico, morfológico e hidrológico do Canal de Santa Cruz, afim de obter informações que possibilitem ações de gerenciamento para a proteção e seu aproveitamento adequado. Os métodos utilizados envolveram coleta e análise de amostras de sedimentos, batimetria e correntometria, para a caracterização da dinâmica estuarina da área. O estudo sedimentológico mostrou que os sedimentos do fundo do Canal são constituídos por areias moderadamente a bem selecionadas, arredondados a subarredondados, brilhantes e compostas, em sua maior proporção, por quartzo, além de bioclastos e fragmentos de rochas. Demonstram ainda dois padrões de deposição relacionados com a circulação hidrodinâmica e com a profundidade da área de estudo. O primeiro localizado nas duas conexões com o mar, com hidrodinâmica mais ativa e deposição de areia média a fina, profundidade média de 5 metros com máximo de 17 m, e o segundo nas proximidades da ponte de Presidente Vargas que liga a Itamaracá ao continente, com hidrodinâmica menos intensa e deposição de areia muito fina a lama e profundidade de até 4 metros. A correntometria indica padrões de circulação semelhantes no que se refere ao sentido da corrente, entre as duas aberturas do Canal - ao norte, Barra de Catuama, e ao sul, Barra Orange. A Barra de Catuama apresenta vazão duas vezes maior que a Barra Orange. Conclui-se que a profundidade do canal estudado interfere na circulação hidráulica de modo a determinar os dois padrões de sedimentação do local. Do mesmo modo, a ação antropogênica, principalmente através da exploração imobiliária, desmatamento, modificam o sistema como um todo. Com base neste estudo recomenda-se ação conjunta do governo e população para uma exploração sustentável do Canal
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6266
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Geociências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3926_1.pdf7.54 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.