Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6207
Title: Os circuitos espaciais de produção e os círculos de cooperação do algodão colorido e derivados da Paraíba (2000-2008): uma dimensão geográfica da flexibilização do produto, da produção e do consumo de moda, fibras, têxteis e confecções
Authors: Sérgio Cunha Farias, Paulo
Keywords: Paraíba.;Círculos de cooperação;Circuito espacial de produção;Confecções;Têxteis;Algodão colorido;Flexibilização
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Sérgio Cunha Farias, Paulo; José de Sá, Alcindo. Os circuitos espaciais de produção e os círculos de cooperação do algodão colorido e derivados da Paraíba (2000-2008): uma dimensão geográfica da flexibilização do produto, da produção e do consumo de moda, fibras, têxteis e confecções. 2010. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Neste estudo, procuramos responder à seguinte questão: como se inscreve territorialmente o circuito espacial de produção e os círculos de cooperação do algodão colorido e derivados na Paraíba? Nele, objetivamos analisar um exemplo de uma das dimensões geográficas da flexibilização do produto, da produção e do consumo de moda, fibras, têxteis e confecções no atual contexto de passagem do modo de regulação e do regime de acumulação capitalista fordista/keynesiano para o da acumulação flexível/neoliberalismo. Para isso, optamos por trabalhar com a metodologia de pesquisa qualitativo-interpretativa, a qual se baseou em fontes orais (entrevistas semi-estruturadas), iconografias e referências bibliográficas de estudos já realizados sobre o tema. Como resultado da análise, constatamos que, na Paraíba, além dos eventos emanados da escala do mundo passagem do fordismo para a acumulação flexível, competitividade global dos mercados, advento do meio técnico-científico-informacional e emergência e mercantilização da psicosfera centrada nas identidades ambiental e territorial , outros relacionados à falência do complexo gado/algodão branco/culturas de subsistência e à competição interna e externa (a exemplo dos têxteis e confecções importados da Ásia) também contribuíram para que segmentos da indústria têxtil e de confecções paraibana, especialmente alguns localizados em Campina Grande, descobrissem no algodão colorido, resultante dos esforços públicos de pesquisa em melhoramento genético que vêm sendo realizados pelo CNPA/EMBRAPA desde o final dos anos 80 do século XX, um diferencial competitivo e um elemento de reforço da especialização produtiva para os seus produtos. Desse modo, por meio de estratégias de marketing relacionadas ao social e ambientalmente correto, e apelando para a etnização dos seus produtos como forma de atrair os consumidores, tais segmentos transformaram os derivados do algodão colorido em mercadorias com valor de troca. A partir do ano 2000, vêm resultando desses eventos os circuitos espaciais de produção e os círculos de cooperação desse algodão e dos seus manufaturados, os quais distribuem, pelo território paraibano, agricultores, cooperativas de agricultores, empresas cooperadas e individuais, cooperativas e associações de artesãos, artesãos individuais e, também, estruturas domiciliares e familiares de produção para realizar, intermediados por estruturas técnico-geográficas de diversos períodos, inúmeras funções no ciclo produtivo, entre elas o cultivo, o beneficiamento, a fiação, a tecelagem, a produção de têxteis e confecções e o acabamento artesanal das peças para o consumo de nichos de mercado no Brasil e no exterior
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6207
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo681_1.pdf5.43 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.