Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6160
Título: A estrada como elemento fragmentador de ecossistemas : análise da estrutura da zona de amortecimento do Parque Nacional do Catimbau como contribuição ao estudo da ecologia da paisagem
Autor(es): de Melo Rodrigues, Natalicio
Palavras-chave: Efeito estrada;Sensoriamento remoto;Corredor
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Melo Rodrigues, Natalicio; Cristina Gonçalves Pereira, Eugênia. A estrada como elemento fragmentador de ecossistemas : análise da estrutura da zona de amortecimento do Parque Nacional do Catimbau como contribuição ao estudo da ecologia da paisagem. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Linha de pesquisa inovadora no âmbito da Ecologia da paisagem, sob ótica da Geografia. Expõe as contradições que giram em torno do conceito de corredor aplicado às redes, particularmente estradas. Perpassa pelos dispares vieses: fragmentação, efeito de borda, e fluxo de veículos. Com um discurso inovador elucida-os como um fenômeno único e fragmentador de habitats, aqui denominado efeito estrada , preenchendo assim uma lacuna na literatura. Mensura e demonstra o efeito estrada tomando como base a legislação vigente, considera sua evolução com a duplicação, estima o seu consumo de solo, aponta seus níveis de impactos ambientais, sua contribuição ao surgimento de povoados, por fim sua expansão máxima com a cidade. O efeito estrada enquanto hipótese a ser testada em UC, elucidou um processo fragmentação que compromete a politica de parques nacionais, particularmente na ZA do Parque Nacional do Catimbau, foco de estudo, que encontra-se circundada por estradas, como consequência sob impactos ambientais. O efeito estrada produziu modificação na matriz agropecuária, ampliou a fragmentação de seu habitat, condição que vem comprometer sua sustentabilidade. O uso do sensoriamento remoto aliado à técnica do NDVI estimou-se a perda da cobertura vegetal, verificando-se uma tendência no entorno dos eixos rodoviários que permeia sua ZA. Foi possível concluir que as estradas independentemente do seu porte são fragmentadoras de habitats. Assim, fica a advertência de que, as políticas públicas ambientais concebidas com o objetivo de apenas criar áreas protegidas nem sempre funcionam como deveria, sobretudo se a inserção de redes não for considerada
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6160
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6449_1.pdf4,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.