Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6138
Title: A dinâmica da organização do espaço na região do baixo Mamanguape litoral norte do estado da Paraíba
Authors: COSTA, Francisco Fábio Dantas da
Keywords: Organização Espacial; Região; Litoral da Paraíba; Baixo Mamanguape
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Fábio Dantas da Costa, Francisco; Cortez Crocia de Barros, Nilson. A dinâmica da organização do espaço na região do baixo Mamanguape litoral norte do estado da Paraíba. 2010. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: O estudo da região não constitui privilégio único da ciência geográfica. No entanto, o geógrafo vislumbra nessa categoria uma importante ferramenta para a apreensão da realidade, uma vez que a mesma encerra valores e estilos de épocas, posturas filosóficas e ideológicas, tendências políticas, níveis diferenciados do próprio processo de conhecimento técnico-científico, entre outros aspectos. Tal condição ajuda a compreender a estagnação de algumas regiões e o dinamismo alcançado por outras, ainda que elas façam parte de um mesmo território. Ela explica também o papel desempenhado por importantes cidades que comandam a organização do espaço no interior das grandes regiões, a exemplo das metrópoles e das megalópoles. Por fim, ela é imprescindível para o entendimento da complexa trama que envolve os atores sociais, suas instituições, suas leis, suas vontades, suas necessidades e seus desejos. A presente pesquisa tem como objetivo estudar a organização espacial na região do Baixo Mamanguape, desde o período inicial de sua ocupação até os dias atuais, propondo uma TIPOLOGIA DE FASES DA DINÂMICA REGIONAL com base nas alterações funcionais e morfológicas identificadas. A partir da análise da literatura e da iconografia existentes; dos dados estatísticos fornecidos pelo IBGE, FUNAI e FUNASA; das informações obtidas a partir do levantamento cartográfico e também nos depoimentos colhidos nos trabalhos de campo, foi possível construir um modelo teórico fundamentado em seis fases, a saber: Fase 1 o Litoral era habitado por grupos indígenas tradicionais (Tabajaras e Potiguaras); Fase 2 o Litoral passou a ser visto como importante reserva de matérias-primas; Fase 3 a região do Baixo Mamanguape foi forjada com base nas atividades econômicas introduzidas pelos colonizadores (a cana-de-açúcar e a pecuária extensiva); Fase 4 a crise política e econômica, o progresso técnico e a nova dinâmica regional; Fase 5 a expansão recente da cultura da cana-de-açúcar e os seus impactos sobre a região (pós-1975); e Fase 6 a institucionalização de áreas de proteção ambiental. Com efeito, a experiência adquirida ao longo desta pesquisa permitiu que nós fizéssemos algumas propostas para amenizar os problemas sociais e ambientais da região. São elas: ampliação das políticas de reforma agrária; promoção de melhorias no interior das aldeias em relação à habitação, ao saneamento básico, à saúde, à educação e à geração de renda; revitalização da atividade industrial têxtil com base em pequenas e médias unidades de produção, capazes de absorver expressivo contingente de trabalhadores; incentivo às práticas do turismo sustentável, aproveitando as imensas potencialidades que a região oferece aos visitantes (patrimônio cultural, arquitetônico e natural) e integrando as populações tradicionais nesses programas; e favorecer o desenvolvimento racional da Área de Proteção Ambiental da Barra do Rio Mamanguape, de modo que as populações possam usufruir das riquezas naturais existentes nesse vasto ecossistema costeiro
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6138
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo482_1.pdf6.94 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.