Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6068
Título: Ostracodes da formação Brejo Santo (Neujúrassico), Sub-Bacia Leste do Araripe, Nordeste do Brasil: implicações bioestratigráficas
Autor(es): de Lima Barros, Cecilia
Palavras-chave: Bacia do Araripe;Formação Brejo Santo;Andar Dom João;NeoJurássico;Ostracodes
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Lima Barros, Cecilia; Luís Fambrini, Gelson. Ostracodes da formação Brejo Santo (Neujúrassico), Sub-Bacia Leste do Araripe, Nordeste do Brasil: implicações bioestratigráficas. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: O presente trabalho apresenta o estudo paleontológico detalhado de ostracodes presentes na Formação Brejo Santo tecendo considerações sobre as implicações biostratigráficas e paleogeográficas para a evolução da Bacia do Araripe. A análise e interpretação dos dados foram realizadas através de revisão bibliográfica e cartográfica, levantamentos estratigráficos de campo e coleta de amostras potencialmente fossilíferas. O material de estudo foi proveniente de nove afloramentos desta formação. A metodologia adotada para o tratamento das amostras seguiu os procedimentos recomendados pelos laboratórios da PETROBRÁS. Seis espécies de Ostracodes nãomarinhos foram descritas a partir das secções estudadas do Andar Dom João - Biozona de Bisulcocypris pricei (NRT-001), da Formação Brejo Santo, Bacia do Araripe. São elas: Bisulcocypris pricei, Darwinula oblonga, Darwinula leguminella, Theriosynoecum miritiensis, Theriosynoecum quadrinodosum, Reconcavona ? incertae. A maior diversidade de espécies é notada nos afloramentos 01, 05 e 07. O registro de formas exclusivamente não-marinhas indica uma sedimentação continental, em depressões amplas e rasas, onde se desenvolveram sistemas aluviais /fluviais /lacustres caracterizados por condições oxidantes. Ambientes propícios a formação de camadas vermelhas (red-beds). Sua idade, presumida como neojurássica, é indicada pela presença de ostracodes não-marinhos do Tithoniano. Fator determinante para o estabelecimento da idade mínima da Formação Brejo Santo como sendo Neojurássica (Andar Dom João) é a presença da Biozona Bisulcocypris pricei (NRT-001)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6068
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2402_1.pdf10,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.