Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6065
Título: Avaliação e tratamento dos contaminantes emergentes ( Ácido Acetilsalicílico, Diclofenaco e Paracetamol ) utilizando processos oxidativos avançados
Autor(es): NAPOLEÃO, Daniella Carla
Palavras-chave: POA; COT; Paracetamol; Diclofenaco; AAS; Contaminantes Emergentes
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Carla Napoleão, Daniella; Lins da Silva, Valdinete. Avaliação e tratamento dos contaminantes emergentes ( Ácido Acetilsalicílico, Diclofenaco e Paracetamol ) utilizando processos oxidativos avançados. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: O interesse da comunidade científica no estudo de micropoluentes é muito recente e tem aumentado a cada dia, uma vez que estas substâncias vêm causando alterações importantes no meio ambiente, interferindo no sistema endócrino de animais e de seres humanos. Logo, foi necessário classificar essas substâncias que receberam o nome de contaminantes emergentes, dentre os quais estão os fármacos de diferentes classes como: analgésicos, antiinflamatórios, drogas psiquiátricas, antilipêmicos, antibióticos além de outras substâncias largamente utilizadas no consumo doméstico. Pesquisadores do mundo todo buscam verificar a presença desses compostos em matrizes ambientais, como estações de tratamento de efluentes e rios, e propor tratamento para os mesmos. O uso de processos oxidativos avançados (POA) surge nesse cenário como uma tecnologia capaz de remover estes micropoluentes dos meios contaminados. O presente trabalho tem por objetivo avaliar, quantificar e tratar soluções aquosas com os contaminantes emergentes (CE): Ácido Acetilsalicílico (AAS), Diclofenaco e Paracetamol. Planejamento Fatorial 23 com ponto central foi utilizado para determinar a melhor condição de operacionalização. Soluções sintéticas foram preparadas com o princípio ativo dos três fármacos em estudo, quantificadas antes e após a aplicação do POA, através de análise por LC/MS IT-TOF. Para que fossem obtidos resultados consistentes, a metodologia utilizada para quantificação dos fármacos por análise cromatográfica acoplada a espectrometria de massas foi validada utilizando normas exigidas pelos órgãos competentes (ANVISA E INMETRO). Análise de Carbono Orgânico Total foi também realizada, contribuindo na determinação da cinética apresentada no processo de degradação. O Processo de Fotólise e os Processos Foto-Fenton e UV/H2O2 foram utilizados e comparados os seus resultados. O processo de Fotólise não apresentou um percentual de degradação significativa para os fármacos estudados, enquanto que o Processo Foto-Fenton conseguiu degradar de modo eficiente todos os fármacos alcançando percentuais de degradação superiores a 90,00%. Após submissão das amostras aos POA, foi realizada análise da concentração de peróxido residual não detectando presença de peróxido. A análise da conversão de carbono orgânico total apresentou melhor resultado (84,84%) para o processo UV/H2O2, o qual também conseguiu obter 100,00% de degradação dos compostos estudados. Portanto, a modelagem cinética foi elaborada para o processo UV/H2O2, que se comportou de modo eficiente tanto para a remoção dos compostos estudados, bem como para a conversão de carbono orgânico total. O modelo cinético agrupado em dois grupos de compostos, refratários e não refratários, foi adotado para descrever o perfil da concentração de COT residual, conseguindo representar de modo satisfatório o perfil da fração residual dos compostos orgânicos analisados
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6065
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Engenharia Química

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo116_1.pdf1,36 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.