Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6028
Título: As semelhanças, diferenças e interações dos circuitos de fluxos sócioespaciais de redes de dormir do nordeste brasileiro
Autor(es): CARNEIRO, Rosalvo Nobre
Palavras-chave: Redes de dormir; Nordeste; Circuitos de fluxos sócioespaciais
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Nobre Carneiro, Rosalvo; José de Sá, Alcindo. As semelhanças, diferenças e interações dos circuitos de fluxos sócioespaciais de redes de dormir do nordeste brasileiro. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Na região Nordeste do Brasil se localiza os municípios maiores produtores de redes de dormir nacional, com destaque para Jaguaruana, no Ceará, Jardim de Piranhas, no Rio Grande do Norte, São Bento, na Paraíba, e Tacaratu, em Pernambuco. Propõe-se analisar as semelhanças, diferenças e interações dos circuitos de fluxos sócioespaciais de suas indústrias têxteis de fabricação de redes de dormir. Para tanto se apoia na Teoria dos Dois Circuitos da Economia Urbana de Milton Santos (1979) e na Teoria da Ação Comunicativa, de Jürgen Habermas (2003b, v. I, 2003c, v. II) e em Carneiro (2006). Os espaços das redes apresentam origens diferentes e semelhantes quanto à produção de seus espaços em relação direta com os variados circuitos de fluxos sócioespaciais de suas indústrias têxteis. Cada um dos circuitos de fluxos, sejam os inferiores ou os superiores, representados pelas empresas de diferentes portes, atuam em variados circuitos espaciais da produção ou a área de atuação de uma empresa. Assim, São Bento e Jaguaruana apresentam circuitos espaciais da produção internacional, isto é, suas empresas pertencentes ao circuito de fluxos superior secundário exportam redes de dormir e produtos substitutos para diversos países da América do Norte, Europa, África e Oceania. As empresas destes municípios mais Tacaratu e Jardim de Piranhas, por sua vez, atuam em circuitos espaciais da produção nacional, regional e local, cujos espaços que o formam variam quantitativamente e qualitativamente. As diferenças espaciais dos municípios produtores de redes de dormir revelam as dinâmicas econômicas particulares, que tem permitido as populações locais um maior padrão e qualidade de vida frente às populações de seu entorno, resultante da colonização do mundo sistêmico. Deste modo, percebem-se, além de um crescimento econômico local um relativo desenvolvimento sócioespacial para boa parte desta população envolvida na atividade de fabricação de redes de dormir, mantas, panos de pratos e produtos substitutos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6028
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2485_1.pdf5,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.