Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5817
Título: Estudos da atividade metanogênica de lodos e da biodegradabilidade anaeróbia de efluentes de indústrias de bebidas
Autor(es): ROCHA, Maria Aparecida Guilherme da
Palavras-chave: Atividade metanogênica;Biodegradabilidade;Indústria de bebidas
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Aparecida Guilherme da Rocha, Maria; de Lourdes Florencio Santos, Maria. Estudos da atividade metanogênica de lodos e da biodegradabilidade anaeróbia de efluentes de indústrias de bebidas. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: O setor industrial de fabricação de bebidas produz efluentes que em decorrência da concentração de matéria orgânica podem causar poluição nos corpos d água. Pela preocupação com a contaminação do meio ambiente e para o atendimento à legislação, as indústrias de bebidas implementam medidas para minimizarem os efeitos contaminantes dos resíduos de seus processo produtivo. O tratamento biológico é bastante utilizado, visto que seus efluentes são essencialmente orgânicos. O tratamento anaeróbio tornou-se economicamente atrativo com o desenvolvimento de processos de altas cargas orgânicas, como os reatores anaeróbios de fluxo ascedente e manta de lodo (UASB), de leito expandido e fluidificado. Para seu bom desempenho, como sistema de tratamento, se faz necessário o conhecimento da quantidade de microrganismos ativos, assim com a sua capacidade para conversão da matéria orgânica em produtos que afetem o menos possível o meio ambiente, e possam servir como fonte de energia alternativa. No Brasil e no Estado de Pernambuco o segmento de bebidas é bastante representativo e economicamente forte. Segundo a FIEPE (Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco) o parque industrial do setor compreende 31 estabelecimentos. Em virtude da importância do setor e por haver pouca pesquisa e dados sobre tratamento anaeróbio para efluentes de indústrias de bebidas no estado de Pernambuco, a presente dissertação teve como objetivos estudar a atividade metanogênica específica (AME) de 4 lodos granulares de indústria de refrigerante, cervejaria, refinaria de milho e usina de açúcar, respectivamente, e a biodegradabilidade anaeróbia de efluentes de 5 indústrias de bebidas da Região Metropolitana do Recife, sendo duas de, uma de cervejaria e duas de engarrafadoras de aguardente. Os testes foram feitos em batelada, sala climatizada a 30 ± 2ºC, duplicata, garrafas de soro de vidro de 600 mL e sem agitação. A AME máxima dos lodos estudados foi a do lodo de cervejaria, quando se utilizou 0,25 g STV/L e 4 g DQO/L, resultando em 1,74 g DQO-CH4/g STV.d. Foi avaliada, também, a aplicação de três, desses quatro lodos, para a biodegradabilidade anaeróbia dos efluentes das indústrias de bebidas. Para isso foram coletados lodos de dois reatores UASB que tratam efluentes de indústria de refrigerante e de usina de açúcar, e de 1 reator de circulação interna (IC) tratando efluente de refinaria de milho. No entanto, com a finalidade de verificar a eficiência da agitação na remoção da DQO, foram realizados mais dois testes de biodegradabilidade em garrafa de soro de 1000 mL, com agitação intermitente e contínua, do efluente da cervejaria, com lodo de refinaria de milho . Nestes experimentos, a influência da agitação não foi significativa para a remoção da DQO. A máxima remoção de DQO dos efluentes das 5 indústrias foi obtida para os efluentes da indústria de refrigerante B e da cervejaria C (90%), tratados com o lodo de refrigerante A
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5817
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Engenharia Civil

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6656_1.pdf1,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.