Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5737
Title: Uso dos recursos hídricos e florestais e sua relação com as áreas de preservação permanente na bacia do riacho Gameleira, afluente do Tapacurá-PE
Authors: Tereza Duarte Dutra, Maria
Keywords: Uso e ocupação do solo; Áreas de Preservação Permanente (APP); Bacia hidrográfica
Issue Date: 2005
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Tereza Duarte Dutra, Maria; Joaquim da Silva Pereira Cabral, Jaime. Uso dos recursos hídricos e florestais e sua relação com as áreas de preservação permanente na bacia do riacho Gameleira, afluente do Tapacurá-PE. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Abstract: A necessidade de estudos sobre pequenas bacias hidrográficas motivou a realização desta pesquisa para identificar os usos dos recursos hídricos e florestais e sua relação com as Áreas de Preservação Permanente (APP) na bacia do riacho Gameleira, afluente do rio Tapacurá, em Pernambuco. Com este objetivo, lançou-se mão de estudos cartográficos e de geoprocessamento, de visitas de campo e de levantamento secundário de informações técnicas e da legislação ambiental e correlata. Foram obtidos os resultados relativos à caracterização da hidrografia, hidrologia, uso e ocupação do solo da bacia, com a geração dos respectivos mapas temáticos. De posse destes resultados foi realizada a análise dos conflitos de uso dos recursos hídricos e florestais nas APP, à luz da legislação ambiental federal, estadual e municipal. A bacia do riacho Gameleira possui área de drenagem de 16,30 km2, com comprimento total dos canais de 40,00 km e curso principal com 11,12 km. A caracterização dos usuários de água identificou que a maior demanda é para a irrigação, sendo a captação feita por poços, cacimbas ou a fio d água, enquanto que o armazenamento é feito por meio de açudes nas grandes propriedades. A análise de qualidade da água constatou que não existe salinidade, porém o teor de oxigênio dissolvido é baixo em algumas estações, as quais estão relacionadas com a interferência antrópica, além da presença de coliformes em algumas estações, indicando que a água era imprópria para alguns dos usos existentes na bacia, como consumo humano e cultivo de hortaliças. A caracterização do uso e ocupação do solo identificou a predominância de áreas com atividade agropecuária e desmatamentos, enquanto que as áreas de florestas apresentaram-se em percentual muito reduzido. Considerando-se a sub-bacia do Alto Gameleira, verifica-se o mesmo padrão de uso e ocupação do solo, constatando-se nas Áreas de Preservação Permanente (APP) o não atendimento às faixas marginais de proteção, segundo o que dispõe a legislação específica. Os resultados obtidos encontram-se conflitantes com os princípios do desenvolvimento sustentável, fato este que motivou a apresentação de algumas proposições que visam recuperar a qualidade ambiental a médio e longo prazo
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5737
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Engenharia Civil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo6430_1.pdf3.34 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.