Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5590
Título: ransporte e exclusão social: investigando conexões em um bairro de Natal-RN
Autor(es): Maria Soares Cunha Torquato, Adriana
Palavras-chave: Transporte urbano;Exclusão social;Políticas públicas
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Soares Cunha Torquato, Adriana; Medeiros dos Santos, Enilson. ransporte e exclusão social: investigando conexões em um bairro de Natal-RN. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: No âmbito do processo de globalização, e em face dos objetivos referentes à sustentabilidade dos aglomerados urbanos, grandes e médias cidades do mundo revelam-se como estruturas sociais em crise, uma crise que é mais aguda nas cidades dos países em desenvolvimento. Essa situação tem dado lugar a que se amplie o debate seja em fóruns internacionais, seja nos âmbitos nacionais acerca do crescimento econômico com aprofundamento das desigualdades sociais e, consequentemente, de uma maior exclusão social. Nessa direção, na medida em que é entendido como elemento estruturador da cadeia de relações sociais e econômicas que têm palco na cidade, o transporte passa a ser examinado como fator de exclusão ou inclusão social. Nesta dissertação, enfoca-se o papel do transporte de passageiros nessa perspectiva. Partindo-se de uma matriz conceitual fundada no debate contemporâneo sobre as relações entre o transporte, a pobreza urbana e a exclusão social, tem-se por objetivo investigar como uma população de baixos rendimentos resolve suas necessidades de mobilidade e de acessibilidade no contexto urbano. O estudo empírico foi desenvolvido no bairro de Felipe Camarão, situado em uma área periférica da cidade de Natal, capital do Rio Grande do Norte, Brasil, onde vive uma população de cerca de 50.000 habitantes com rendimento familiar médio de 2,17 salários mínimos. As conclusões mostram que a mobilidade espacial da população examinada varia fortemente em função da renda familiar, indo desde famílias motorizadas com ampla acessibilidade às oportunidades urbanas até o caso de famílias mais pobres, que são completamente excluídas da vida urbana e restringem seu espaço de vivência ao território alcançável a pé, dando espaço a oportunidades de intervenção pública reparadora dessas desigualdades
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5590
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Engenharia Civil

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6216_1.pdf6,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.