Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5333
Título: Avaliação de ensaios simulativos de corrosão e biocorrosão em sistemas estático e dinâmico de revestimentos aplicados em aço carbono
Autor(es): Rosângela Santos Vieira, Magda
Palavras-chave: Espectroscopia de Impedância Eletroquímica (EIS);Ensaio em looping;Sistema duplex;Galvanização;Pintura industrial;Biocorrosão;Corrosão
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Rosângela Santos Vieira, Magda; Leopoldino Urtiga Filho, Severino. Avaliação de ensaios simulativos de corrosão e biocorrosão em sistemas estático e dinâmico de revestimentos aplicados em aço carbono. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: O custo global ocasionado pela corrosão representa uma elevada perda econômica. Várias são as tentativas de retardar o processo de corrosão, destacando-se o uso de revestimentos metálicos e orgânicos. Neste trabalho, avaliaram-se as propriedades anticorrosivas de revestimentos aplicados sobre aço carbono utilizados nas áreas industriais como alternativas de proteção anticorrosiva, sendo eles: esquemas de pintura, galvanização a quente e sistema duplex, que consiste na associação da galvanização e pintura. Os ensaios foram realizados em sistema estático de imersão e em sistema dinâmico do tipo looping, contendo água do mar da região do Complexo Portuário e Industrial de SUAPE (Ipojuca PE), onde se encontra instalada a empresa Termoelétrica de Pernambuco (TERMOPE). Para avaliação da influência biocorrosiva no processo de deterioração do metal base e dos revestimentos, os ensaios de imersão em sistema estático foram conduzidos em duas condições: meio estéril (com biocida) e meio não estéril (sem biocida), sendo monitorados ao longo do tempo os parâmetros microbiológicos do meio. Para avaliação do desempenho anticorrosivo dos revestimentos, utilizou-se o monitoramento eletroquímico através da medida de potencial de circuito aberto e da técnica de Espectroscopia de Impedância Eletroquímica (EIS). A técnica de EIS apresentou-se bastante sensível à presença de defeitos nos revestimentos e também apresentou respostas diferenciadas para o comportamento dos revestimentos em meio estéril e meio não estéril. O ensaio em looping mostrou-se mais severo do que o ensaio em sistema estático, sendo a corrosividade obtida em cada sistema, respectivamente classificada como, alta e moderada. O processo biocorrosivo para o meio estático teve uma contribuição aproximada 15,27% para a corrosão observada no metal não revestido, após 75 dias de exposição. O processo de formação de biofilme ao longo do tempo foi mais acentuado no sistema dinâmico do tipo looping, onde, devido ao processo de recirculação da água observou-se um aumento significativo da quantidade de microrganismos presentes no meio
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5333
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Engenharia Mecânica

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo3828_1.pdf4,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.