Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5089
Título: Limiar eletromiográfico da fadiga muscular em homens com peso normal e com sobrepeso
Autor(es): Cláudia Barbosa Maurício da Fonseca, Antonietta
Palavras-chave: Eletromiografia; Fadiga muscular; Índice de massa corpórea; Limiar eletromiográfico; Sobrepeso
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Cláudia Barbosa Maurício da Fonseca, Antonietta; Marcelino Filho, Milton. Limiar eletromiográfico da fadiga muscular em homens com peso normal e com sobrepeso. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biofísica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi verificar se existe diferença nos padrões dos sinais eletromiográficos durante a fadiga muscular em contração isométrica voluntária durante o teste de preensão manual, em indivíduos com peso normal e com sobrepeso. Foram estudados 42 voluntários do sexo masculino, com idade entre 18 e 30 anos, saudáveis, não fumantes e não atletas, distribuídos em três grupos de acordo com o índice de massa corporal (IMC): controle (n=16, IMC entre 18,5 e 24,99 Kg/m2), sobrepeso grau 1 SP1 (n=14, IMC entre 25 e 29,99 Kg/m2) e sobrepeso grau 2 SP2 (n=12, IMC entre 30 e 39,99 Kg/m2). Após a determinação da força de contração voluntária máxima (CVM), os indivíduos foram submetidos a teste de preensão manual com cargas de 30% e 50% da CVM e registro simultâneo da atividade eletromiográfica dos músculos flexores dos dedos. A partir dos valores de freqüência e amplitude do sinal (RMS), foram obtidos gráficos com a variação destes parâmetros em função do tempo. Os resultados encontrados foram utilizados para análise estatística através do programa Sigma Stat 32, com a aplicação do teste de Análise de Variância, considerando p< 0,05 o limite de significância. O valor RMS máximo e o tempo total foram maiores nos indivíduos do grupo controle para contrações com 30% da CVM. O tempo limiar foi menor nos grupos de sobrepeso para 50% da CVM. A determinação do limiar eletromiográfico da fadiga muscular pode ser melhor evidenciada com 50% da CVM sendo clara a visualização do decréscimo da freqüência média e concomitante elevação no valor da RMS. Estes resultados estão de acordo com os encontrados na literatura com relação aos baixos valores obtidos por indivíduos obesos em testes de esforço físico, sugerindo a tendência de maior hipertrofia de fibras oxidativas nos indivíduos com peso normal
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5089
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biofísica

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4453_1.pdf5,88 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.