Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4900
Título: Alfabetização científica e argumentação escrita nas aulas de ciênciais naturais: pontos e contrapontos
Autor(es): Marinho Rocha de Lira, Magadã
Palavras-chave: Ensino de Ciências.; Alfabetização Científica; Argumentação Escrita
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Marinho Rocha de Lira, Magadã; Martins Teixeira Macedo, Francimar. Alfabetização científica e argumentação escrita nas aulas de ciênciais naturais: pontos e contrapontos. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: Este trabalho apresenta resultado da investigação que teve como objeto a relação entre a argumentação escrita e a alfabetização científica. A pesquisa foi realizada através da análise de 16 cartas argumentativas produzidas por crianças do segundo ano do ensino fundamental de uma escola da rede particular de ensino da cidade do Recife. Na análise, quando necessário, traçamos um paralelo entre momentos provenientes da argumentação oral e da escrita, buscando respaldar nossas considerações a cerca do objeto investigado. Fundamentamos nosso trabalho na concepção de língua como interação proposta por Bakhtin (2003) e concebemos a argumentação como condução mediadora de pontos de vista, e por isso entendida como prática indispensável nas aulas de ciências. A compreensão dos conhecimentos científicos sistematizados nestes espaços perpassa o processo de alfabetização científica e assumem a argumentação como poderosa ferramenta na construção do pensamento científico (CAPECCHI; CARVALHO, 2000). Nas produções escritas dos alunos, identificamos os elementos constituintes da argumentação segundo o modelo de Toulmin (2006 [1958]) e caracterizamos os indicadores da alfabetização científica propostos por Sasseron (2008), entendidos como habilidades de ação e investigação na construção do conhecimento. Os resultados indicam que a argumentação escrita, através de uma reorganização e melhor sistematização das ideias, contribui substancialmente no processo de alfabetização científica, e que, por isso, o trabalho com gêneros textuais argumentativos deve ser uma prática constante nas aulas de ciências desde as séries iniciais do ensino fundamental
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4900
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo973_1.pdf10,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.