Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/474
Title: Comportamento de forrageio do Boto-cinza (Sotalia guianensis) em Olinda e no Porto do Recife, Pernambuco
Authors: Monteiro, Milena Santos
Keywords: Comportamento; Cetáceos; Alimentação; Ecologia; Sotalia
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Santos Monteiro, Milena; Adélia Borstelmann de Oliveira, Maria. Comportamento de forrageio do Boto-cinza (Sotalia guianensis) em Olinda e no Porto do Recife, Pernambuco. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: O comportamento de forrageio compreende um conjunto de atividades realizadas pelos golfinhos para obtenção de suas presas e pode variar de acordo com características específicas de cada região. O presente trabalho objetivou realizar um estudo comparativo entre o comportamento de forrageio do botocinza em Olinda e no Porto do Recife. A coleta dos dados foi realizada em pontos fixos. Os métodos de amostragem utilizados foram Todas as Ocorrências e Varredura . O estudo foi conduzido entre setembro de 2006 e agosto de 2007, com observações realizadas cinco dias consecutivos por mês no período de 8h às 16 horas. Ao todo foram realizadas 399 horas de esforço amostral em cada área, resultando em 177 horas de observação direta dos animais no Porto do Recife e 13 horas em Olinda. A ocorrência de botos-cinza no Porto foi significativamente maior. O período do ano de maior freqüência de eventos de forrageios do botos-cinza no Porto do Recife foi de setembro a dezembro. Em Olinda, os botos foram observados apenas no período de novembro a fevereiro, sendo este último mês, o de maior freqüência dos registros de forrageio. Em ambas as regiões, os golfinhos foram mais avistados e forragearam mais durante o turno da manhã. Foram registrados ao todo 1264 comportamentos de forrageio no Porto do Recife e 37 em Olinda. No Porto, foram registrados 11 comportamentos de forrageio diferentes e 4 em Olinda. Em ambas as regiões, os eventos de forrageio ocorreram em maior número na presença de 4 a 6 golfinhos. No Porto do Recife, a quantidade de forrageios parece ser influenciada indiretamente por variáveis ambientais, como a estação do ano, os estados de maré, a salinidade, o nível de precipitação pluviométrica e os teores de nutrientes inorgânicos dissolvidos e diretamente pela sazonalidade de ocorrência das presas que compõem sua dieta
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/474
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo1208_1.pdf3.47 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.