Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4676
Título: A (re)invenção do saber histórico escolar: apropriação das narrativas históricas escolares pela prática pedagógica dos professores de História
Autor(es): CUNHA, André Victor Cavalcanti Seal Da
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Victor Cavalcanti Seal Da Cunha, André; Batista Neto, José. A (re)invenção do saber histórico escolar: apropriação das narrativas históricas escolares pela prática pedagógica dos professores de História. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: A pesquisa compreende as apropriações das narrativas históricas escolares pela prática pedagógica dos professores de História do ensino fundamental da rede municipal do Recife. Para tanto, busca-se analisar a estrutura discursiva das narrativas para identificar as matrizes historiográficas que servem de referência na sua transposição didática. Neste processo, analisamos também as estratégias metodológicas privilegiadas nas apropriações das narrativas históricas escolares, bem como os procedimentos didáticos associados à apropriação destas. A investigação teve como campo os ciclos finais do ensino fundamental (3º e 4º Ciclos) de quatro escolas da rede citada. Elegemos como sujeitos cinco (5) professores, todos graduados em licenciatura plena em História. Para a coleta dos dados, utilizamos entrevistas (iniciais, durante as observações de sala, e finais) e observações em sala, ambas áudio-gravadas e convertidas em peças protocolares, constituindo nosso corpo documental. Quanto ao tratamento dos dados, nos apoiamos nas formulações de Bardin (1977) sobre a análise de conteúdo. Diversas matrizes historiográficas participaram das (re)invenções, apresentando-se muitas vezes em estruturas mistas. Não obstante, percebe-se uma preponderância do Marxismo. No que tange às estratégias metodológicas adotadas pelos professores, detectamos os múltiplos usos da oralidade como forma privilegiada para as apropriações. Na análise dos procedimentos didáticos, identificamos o fenômeno das relações didáticas compreendidas enquanto uma apropriação das propostas de inovação do ensino para a prática da História escolar. Percebemos que o repertório de saberes históricos escolares formados na graduação e nos anos iniciais da profissionalização representou um núcleo duro da transposição didática interna. Da mesma forma, a oralização do saber histórico mostrou ser um elemento intrínseco à cultura profissional docente, não podendo ser inexoravelmente associada a uma perspectiva inovadora ou conservadora em si mesma. Refletimos que as relações didáticas encontram sua fundamentação na possibilidade de representar um instrumento útil à prática pedagógica dos sujeitos. A riqueza e a diversidade dos fenômenos nos possibilitaram vislumbrar a complexidade que caracteriza o ensino de História vivido e praticado nas salas de aula
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4676
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5741_1.pdf1,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.