Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4668
Título: O papel da Colônia Orfanológica Isabel na educação e na definição dos destinos de meninos negros, brancos e índios na Província de Pernambuco (1874-1889)
Autor(es): Silva Arantes, Adlene
Palavras-chave: Índios; Órfãos, Ingênuos, Libertos; Ensino Agrícola; Instituições Orfanológicas; Educação Oitocentista
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Silva Arantes, Adlene; Maria De Oliveira Galvão, Ana. O papel da Colônia Orfanológica Isabel na educação e na definição dos destinos de meninos negros, brancos e índios na Província de Pernambuco (1874-1889). 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: Este estudo se propôs a compreender a educação, a instrução e os possíveis destinos pensados para os meninos negros, brancos e índios na Colônia Orfanológica Isabel, instituição criada pelos Missionários Capuchinhos, com o objetivo de receber crianças órfãs e ingênuas, na segunda metade do século XIX, na província de Pernambuco. Para a realização da pesquisa, foram utilizadas como fontes regulamentos, regimentos, relatórios, programas de disciplinas e ofícios da Colônia Isabel; relatórios, regimentos e legislação da instrução pública; ofícios e relatórios da Presidência da Província; ofícios da Santa Casa de Misericórdia, Marinha, Exército, Juízes de Órfãos, Colégio de órfãos, Relatórios do Colégio do Bom Conselho, Polícia Civil, Anais Franciscanos e Assuntos Eclesiásticos. Utilizamos, ainda, livros escolares e pareceres sobre livros do período estudado. Os resultados da pesquisa mostraram que a Colônia Isabel significava uma possibilidade de recolhimento e instrução para órfãos, ingênuos, libertos e índios, grupos desfavorecidos da sociedade da época para torná-los úteis a si e à sociedade, preparando-os para o trabalho na agricultura, na indústria e no comércio. O ensino oferecido na instituição era dividido em aulas e oficinas. Nas aulas, ensinavam-se os conteúdos morais, religiosos e os conteúdos voltados para a leitura, a escrita e para a matemática. Nas oficinas, ensinavam-se os conhecimentos práticos, voltados para a agricultura, a indústria e o comércio. O destino dos colonos dependia do comportamento apresentado por eles no interior da instituição. Para os disciplinados, buscava-se garantir o direito de concluir uma educação voltada para a agricultura e uma possível colocação no mercado de trabalhoPara os incorrigíveis , a expulsão. Nesse caso, se os parentes não se manifestassem contra a medida tomada, os meninos seriam encaminhados para as instituições da Marinha ou do Exército
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4668
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5737_1.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.