Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4617
Título: Aspectos sócio-econômicos e adequação alimentar em áreas periféricas urbanas do Recife
Autor(es): Lucia Galvão Petry, Ana
Palavras-chave: Consumo; Adequação alimentar; Características sócio-econômicas; Hábitos de compra; Plano Cruzado
Data do documento: 1993
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lucia Galvão Petry, Ana; de Sá Barreto Sampaio, Yony. Aspectos sócio-econômicos e adequação alimentar em áreas periféricas urbanas do Recife. 1993. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1993.
Resumo: Este estudo tem por objetivo a análise das características sócio-econômicas de famílias com dieta adequada e inadequada, com o propósito de buscar caracteres distintivos que orientem a Política de Alimentação e Nutrição. Pretende, ainda, estudar a evolução dos hábitos de compra e consumo da população recifense de baixa renda e observar o papel do Programa de Abastecimento de Alimentos Básicos em Áreas de Baixa Renda (PROAB) como fornecedor de alimentos à população-meta. É propósito, também, deste trabalho, avaliar as alterações ocorridas no padrão de consumo e adequação alimentar à época do Plano Cruzado . A análise dos dados indica que os fatores de mais estreito vínculo com a adequação nutricional, são o tamanho da família e o nível de instrução formal da mãe. A associação com a renda não é nítida, pois a amostra é constituída em sua totalidade por população pobre. A participação dos postos de auto-serviço nos gastos de famílias de baixa-renda aumentou muito entre 1973 e 1987. A redução da participação de armazéns e mercearias só não foi maior graças à atuação do PROAB e sua cesta subsidiada. Os outros postos comerciais tradicionais como o mercado público e a feira livre tiveram espetaculares reduções no fornecimento de alimentos à população que percebia até dois salários mínimos, na ocasião da pesquisa. A adequação alimentar foi maior em 1986, ano da implantação do Plano Cruzado, com redução também dos casos mais graves de deficiência da dieta, apesar da escassez de alguns produtos tão característica do período em que houve estabilidade de preços. Os dados que embasaram este estudo são oriundos da Pesquisa de Avaliação do PROAB , realizada pelo PIMES/UFPE, em 1986 e 1987
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4617
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Economia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo789_1.pdf4,44 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.