Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4592
Título: O Papel do professor itinerante face à inserção da pessoa com deficiência no ensino regular: significando e ressignificando a itinerância
Autor(es): do Carmo Pereira da Silva Cavalcanti, Neulia
Palavras-chave: Inclusão; Professor Itinerante; Pessoa com Deficiência; Educação Especial; Identidade docente; Prática Pedagógica; Saberes Docentes
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: do Carmo Pereira da Silva Cavalcanti, Neulia; José de Lima, Francisco. O Papel do professor itinerante face à inserção da pessoa com deficiência no ensino regular: significando e ressignificando a itinerância. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: O presente trabalho de pesquisa, intitulado O papel do professor itinerante face à inserção do aluno com deficiência na sala de aula do ensino regular: significando e ressignificando a itinerância , teve como objetivo conhecer o papel que o professor itinerante desempenha na inserção de alunos com deficiência, nas escolas da rede municipal de Recife. A pesquisa, de base qualitativa, foi realizada com professores itinerantes com, pelo menos, cinco anos de atividade nessa função. O questionário e a entrevista semi-estruturada foram utilizados para a coleta de dados. A análise desses dados, associada à pesquisa bibliográfica pertinente a esse estudo permitiu concluir que o paradigma da integração norteou, por muitos anos, o fazer pedagógico do professor itinerante, levando-o a contribuir com a segregação dos alunos com deficiência, pois, com sua prática, acentuava a discriminação desses alunos, uma vez que lhes reforçava às diferenças , isto é, suas deficiências e não suas potencialidades; a intenção era normalizá-los para que eles se integrassem ao ritmo da classe em que estavam inseridos, e não transformar a prática da escola para os incluir plena e incondicionalmente. Agora, sob a égide da escola inclusiva, constata-se que grande parte desses profissionais vem descaracterizando o seu papel tradicional de itinerante, ora se identificando enquanto técnico, ora se identificando como docente. Vê-se, pois, que parte desses professores encontra-se em conflito, o que pode ser traduzido numa crise de identidade profissional, posto que esse paradigma exige dele uma nova postura frente às demandas educacionais ensejadas pelos preceitos da educação para todos, o que vai repercutir na necessidade desse docente rever o seu papel, desvelando um outro fazer pedagógico. Por fim, concluiu-se que o professor itinerante vem sendo desafiado a ressignificar o seu papel, exigindo desse profissional uma ruptura com o modelo integracionista, bem como é chamado a incorporar mudanças estruturais no seu fazer cotidiano, provocando uma ressignificação de seu papel, tornando-se, nesse processo um professor agente de mediação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4592
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5522_1.pdf1,65 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.