Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4158
Título: Significações político pedagógicas na Gerência Regional de Educação Limoeiro : da quantofrenia ao pai do pai à quantofrenia
Autor(es): Maria Xavier de Melo Santos, Ana
Palavras-chave: Projeto Político-Pedagógico;Patrimonialismo;Gestão de resultados
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Xavier de Melo Santos, Ana; Malaquias de Moraes Santos, Evson. Significações político pedagógicas na Gerência Regional de Educação Limoeiro : da quantofrenia ao pai do pai à quantofrenia. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Estudamos as significações político-pedagógicas das gestões modernizantes e populistas no estado de Pernambuco, especificamente no município de Limoeiro Pernambuco, cujos objetivos foram analisar as significações institucionais da prática pedagógica da atual Gerência Regional de Educação (GRE) do Vale do Capibaribe e dos diretores escolares dessa regional; analisamos, também, as significações político-pedagógicas na gestão educacional modernizante da atual Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco; caracterizamos as relações interinstitucionais estabelecidas entre a GRE e diretores de escolas dessa regional; historicizamos brevemente a emergência do Projeto Político Pedagógico no Brasil e em Pernambuco, acreditando que seus resultados nos revelassem as trilhas do PPP em PE. Utilizamos abordagens macrossocial (documentos do PPP, história política do município e do PPP) e microssocial (observações das reuniões e ambientes, entrevistas e questionários). Percebemos que os governos estaduais têm deixado bastante evidentes que os PPPs não são relevantes nas suas políticas de gestão, ficando sempre em segundo plano, muito embora estejam presentes nos discursos educacionais. Contudo, isso não quer dizer que não desenvolvam uma prática pedagógica. Entendemos que o mundo se efetiva por rede simbólica, e a que prevalece em nossa sociedade é a patrimonial. A história política deste município está assentada no familismo, nos favores e na hierarquização. O PPP emerge das lutas sociais e democráticas. Essas duas realidades não se entrecruzam satisfatoriamente neste município. O atual governo prioriza o programa Gestor Nota 10 (GN10) em vez da construção do PPP. O PPP aparece apenas como uma pequena peça dessa engrenagem. A prática pedagógica adotada nas reuniões da GRE são bancárias e persuasivas para a defesa do GN10, não havendo diálogo, mas inculcação dos conceitos e discursos do GN10, e, as divergências e os conflitos, quando emergem, são normalmente abafados. As relações interinstitucionais preponderantes da GRE com os diretores são de passividade e aceitação da hierarquia por parte destes, apesar da existência de resistências e críticas (sendo alguns membros do sindicato dos professores). A metade dos diretores não se associou a entidades políticas - apenas 1/3 está sindicalizada. Ou seja, os diretores que são convidados a realizar gestão democrática e participativa não têm histórico de associação política. A GRE recorre, também, ao discurso religioso e patriarcal (recorrência ao governador) para desenvolver capacitação. Podemos deduzir que sua prática pedagógica assenta numa estrutura mesclada de patrimonialismo e gestão de resultados com certa concordância passiva por parte de diretores, que fazem parte dessa rede simbólica: hierarquizada, de favores, bancária com uma ideologia centrada no individualismo, na quantofrenia e na gestão dos resultados
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4158
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo262_1.pdf7,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.