Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/391
Título: O Processo de Internacionalização de empresas do Nordeste : Proposição de um framework
Autor(es): Piros Kovacs, Erica
Palavras-chave: Estratégia de Internacionalização;Teoria Adaptativa;Empresas exportadoras;Nordeste do Brasil
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Piros Kovacs, Erica; Fernando Araújo de Moraes, Walter. O Processo de Internacionalização de empresas do Nordeste : Proposição de um framework. 2009. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: A pesquisa tem como objetivo investigar as características do processo de internacionalização de empresas nordestinas. O referencial teórico analisa transversalmente os principais conceitos-chave das teorias de internacionalização: Ciclo de Vida, Uppsala, Escolha Adaptativa, Paradigma Eclético, Modelo Diamante e RBV. Os conceitos-chave abrangem a localização, escolhas gerenciais, recursos tangíveis e intangíveis, aprendizagem e agentes exernos. Apresenta-se também o imbricamento dos conceitos de estratégia e internacionalização e constrói-se um framework. Os dados foram coletados nas empresas Netuno e Queiroz Galvão Alimentos. A pesquisa é de natureza longitudinal e os procedimentos metodológicos foram embasados na teoria adaptativa. A análise dos dados foi realizada em duas etapas: descritiva e por meio do método de comparação constante, com o auxílio do software ATLAS/ti. Os casos apresentam aspectos comuns ao longo do processo que levam ao ajuste do framework, principal contribuição da tese, indicativo de que nenhum modelo dominante, isoladamente, é capaz de explicar o processo de internacionalização. Como principais resultados, percebe-se que o processo de formação de estratégias tende a ser gradual e que o contexto externo foi o principal determinante da orientação de mercado e estrutura organizacional. Ademais, evidencia-se que os recursos intangíveis podem substituir os tangíveis na internacionalização. No início há influência da aprendizagem baseada em tentativas e erros enquanto que, em fases mais recentes, predomina a aprendizagem buscada. Identifica-se ainda que as primeiras exportações foram impulsionadas pela disponibilidade de vantagens comparativas, que resultaram num clima de modismo. Os agentes de cooperação da indústria auxiliaram na disseminação de conhecimento nas fases iniciais. Finalmente, comportamentos oportunistas geraram um maior comprometimento com a internacionalização
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/391
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Administração

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1009_1.pdf1,73 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.