Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3760
Title: Pedagogia como ciência, afinal é possível isso? contribuições de Dermeval Saviani para o debate epistemológico
Authors: Soares Celestino, Rafaela
Keywords: Cultura;Escola;Epistemologia;Intelectuais orgânicos;Pedagogia científica
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Soares Celestino, Rafaela; Rörh, Ferndinand. Pedagogia como ciência, afinal é possível isso? contribuições de Dermeval Saviani para o debate epistemológico. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Este trabalho teve como objetivo analisar a concepção da Pedagogia como ciência, de Dermeval Saviani. Sabe-se que no Brasil não são comuns estudos que se debrucem sobre a questão da cientificidade da área. Entre os alemães isso pode ser encontrado com mais frequência, além disso, foram os mesmos na figura de Herbart os pioneiros nessa busca científica. Nos estudos que advogam a Pedagogia como ciência não há consenso sobre quais pressupostos básicos devem compor tal ciência, muitos deles chegam a caminhar em direções contrárias. Nessa perspectiva, Saviani (2008) mostra alguns fundamentos que ele acredita fazer parte de uma ciência da Pedagogia. Como todos os outros autores, Saviani busca elementos em teorias que acreditam contribuir para compreender com propriedade o pensamento pedagógico. Diante disso, utiliza alguns pressupostos da teoria de Gramsci (1979), tais como: cultura, intelectuais e escola. Para analisar tais conceitos foram utilizados dois textos como mediadores do debate: Intelectuais e a organização da cultura de Gramsci (1979), e, o de Saviani (2008): Pedagogia e ciência (s) da educação . Nestes textos foram encontrados subsídios que comprovam que Saviani segue pressupostos da teoria gramsciana. Dentre os indícios encontrados, vale destacar a ideia do saber escolar como um dos elementos da cultura que pode fornecer aos indivíduos instrumentos para que no seu cotidiano participem crítica e ativamente da sociedade, ou seja, Saviani (2008) busca em Gramsci seu conceito de cultura e o aplica ao contexto educacional de maneira peculiar. Nesse sentido, é que tanto Gramsci quanto Saviani defendem uma escola única para ricos e para pobres, pois o conhecimento que nela se manifesta não é propriedade da burguesia, apenas foi utilizado pela mesma com o fito de manter sua hegemonia social e econômica. Nesse processo, o professor, na concepção de Saviani ou intelectual orgânico no termo de Gramsci, é o maior responsável pela condução do processo, mas para Gramsci tal intelectual deve vir da classe de trabalhadores, só assim, o diálogo entre as partes poderá alcançar êxito. No geral, Saviani (2008) advoga que a Pedagogia é o campo de estudo e análise de estratégias que melhor possam socializar os conhecimentos acumulados pela humanidade, além de outros elementos como valores e atitudes, pois Saviani e Gramsci convergem na afirmativa da incapacidade de diálogo democrático entre aqueles que dominam e os que não dominam as diversas formas intelectuais existentes na sociedade. Para Saviani (2008) lidar pedagogicamente com os conteúdos e com os educandos da maneira como propõe é algo específico e característico da área. Se a atividade docente, assim como a experiência escolar não é exclusividade da Pedagogia, a consciência de um trabalho intencional e sistemático de saberes escolares para a promoção humana é algo que, também, pode caracterizar a Pedagogia como uma ciência relativamente autônoma
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3760
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo141_1.pdf907.34 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.