Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3580
Título: Linhas de continuidade no Sistema Axial
Autor(es): Figueiredo de Medeiros, Lucas
Palavras-chave: Sintaxe Espacial;Sistema Axial;Linhas de Continuidade
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Figueiredo de Medeiros, Lucas; Manuel do Eirado Amorim, Luiz. Linhas de continuidade no Sistema Axial. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: A representação axial do ambiente construído tem sido reavaliada por especialistas nos últimos anos. Alguns argumentam que o seu conceito original o menor conjunto das mais longas linhas de acessibilidade e visibilidade contém um grau de subjetividade que pode gerar distorções ou diferentes modelos para um mesmo objeto descrito. Outros aceitam essa imprecisão demonstrando que a robustez desse sistema descritivo passa por cima de pequenas distorções, mas tentam refiná-lo ao introduzir novas técnicas para descrever sistemas espaciais. Esta dissertação apresenta uma contribuição a esse recente debate ao propor uma nova técnica descritiva, denominada linha de continuidade, que vai além da representação axial. Uma linha de continuidade agrega várias linhas axiais para representar um caminho urbano em sua máxima extensão, respeitando uma sinuosidade máxima pré-definida. Ela se baseia em dois argumentos principais: primeiro, que a noção de continuidade já está presente no sistema axial; segundo, que as linhas de continuidade reforçam a relação entre as medidas configuracionais e a geometria oculta dos mapas axiais. São elaboradas regras objetivas para criar linhas de conectividade num mapa axial comum e apresentadas novas variáveis associadas ao sistema. Um conjunto significativo de mapas axiais, diverso em tamanho e propriedades configuracionais, foi usado para testar a técnica e os resultados obtidos demonstraram sua consistência. O efeito de centralidade em mapas de integração foi reduzido, expressando mais claramente o caráter distribuído da acessibilidade e destacando a importância de caminhos curvos ou sinuosos. Finalmente, a hipótese de que a nova técnica descritiva aprimora o sistema axial foi testada
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3580
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Desenvolvimento Urbano

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5475_1.pdf3,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.