Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3571
Título: Estudo físico-químico do polifosfato de sódio visando sua aplicação em formulações para nutrição parenteral
Autor(es): César Bezerra Pereira, Júlio
Palavras-chave: Estabilidade; Cálcio; Nutrição parenteral; Polifosfato; Quimiometria; RMN31P
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: César Bezerra Pereira, Júlio; Saegesser Santos, Beate. Estudo físico-químico do polifosfato de sódio visando sua aplicação em formulações para nutrição parenteral. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: A formação de precipitados entre íons cálcio (Ca2+) e fosfato (PO4 3-) é um dos maiores problemas enfrentados na preparação de formulações para nutrição parenteral (NP). A administração de NP contendo partículas com tamanho superior a 5 mm pode causar a morte dos pacientes por embolia. O problema é ainda mais grave na manipulação de NP para neonatos e prematuros, cujas necessidades metabólicas requerem maiores quantidades dos minerais cálcio e fósforo. Tendo por objetivo minimizar tal incompatibilidade, a presente pesquisa apresenta o polifosfato de sódio (PoliP) [NaPO3]n , como fonte mineral alternativa de fósforo. PoliP é um polímero inorgânico que em meio aquoso apresenta-se como um conjunto de poliânions que contém um número variável de grupos fosfato por cadeia. A pesquisa comprovou a viabilidade de aplicação do polifosfato de sódio no preparo de misturas para NP, através da avaliação físico-química do mesmo e de sua interação com cálcio e outros componentes da NP. As alterações ocorridas nos sistemas foram monitoradas através de espectroscopia de absorção eletrônica UV-Vis, pHmetria, difração de raios-X e espectroscopia de ressonância magnética nuclear de 31P (RMN 31P) e através de estudo quimiométrico. Os resultados obtidos permitiram uma melhor compreensão das condições físico-químicas que influenciam no comportamento sol-gel de sistemas contendo PoliP e Ca2+. Os dados permitem afirmar que o PoliP consegue estabilizar o Ca2+, de forma que não há formação de precipitados, em quantidades equivalentes àquelas normalmente indicadas em NP, na proporção molar P:Ca em torno de 1. Verificou-se que os componentes da NP, Mg2+ e aminoácidos, exercem efeito estabilizante sobre a interação PoliP Ca2+. Foi possível constatar que a técnica de RMN 31P apresenta grande eficiência na determinação de interações entre PoliP e cátions metálicos. O estudo quimiométrico mostrou tratar-se de uma ferramenta bastante adequada para auxiliar na detecção da tendência de incompatibilidade entre os componentes da NP
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3571
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6267_1.pdf2,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.