Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3371
Title: Isolamento de endofíticos de Eugenia uniflora L. (Pitanga) e avaliação da bioatividade
Authors: Cristina de Lima Soares, Erika
Keywords: Isolamento; Eugenia uniflora L.; Endofíticos; Fermentação; Atividade antimicrobiana
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Cristina de Lima Soares, Erika; Magali de Araújo, Janete. Isolamento de endofíticos de Eugenia uniflora L. (Pitanga) e avaliação da bioatividade. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: A pesquisa de compostos químicos biologicamente ativos para fins terap êuticos em plantas utilizadas na medicina popular e em seus micro -organismos endofíticos tem enriquecido as opções terapêuticas com novos fármacos antinflamatórios, antimicrobianos, antitumorais, entre outros. Em busca de soluções para conter o avanço da multirresistência microbiana, o presente trabalho buscou isolar e avaliar a bioatividade dos endofíticos de Eugenia uniflora L., pitanga, além de confirmar a eficácia antimicrobiana dos extratos de folhas da mesma planta. 43 fungos, 7 bactérias e uma actinobactéria foram isolados das folhas de três exemplares da pitangueira, os quais, foram testados frente às bactérias Gram-positivas, Gram-negativas, leveduras de interesse clínico, fungos filamentosos e cepas de Staphylococcus aureus isoladas no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, algumas com perfil de multirresistência. Os fungos endofíticos apresentaram atividade antimicrobiana para pelo menos um dos patógenos testados, com destaque para atividade frente a Staphylococcus aureus, Mycobacterium tuberculosis e Escherichia coli. A produção de enzimas como amilase, celulase e protease também foi avaliada. A actinobactéria, Streptomyces sp.UFPEDA 968 apresentou os melhores resultados principalmente contra bactérias Gram-negativas como Shigella flexneri, Bacillus subtilis e para as cepas multirresistentes, foi conduzida ao processo de fermentação, a fim de selecionar o melhor tempo, meio de cultura, temperatura e pH para produção dos metabólitos secundários bioativos. Foi realizada a extra ção dos referidos metabólitos utilizando diferentes solventes, tanto do líquido fermentado como da biomassa celular, revelando o acetato de etila como melhor solvente, e a presença dos compostos bioativos apenas no líquido fermentado. Um estudo fitoquímic o comparativo foi realizado entre o extrato da planta e o extrato de Streptomyces sp. UFPEDA 968, apresentando flavonóides diferentes, ausência de alcalóides e taninos nos dois referidos extratos. A presença do esteróide β- sitosterol foi encontrada nos dois extratos. Entretanto, esta diversidade de vias metabólicas secundárias ressalta a importância da pesquisa destas duas fontes de metabólitos secundários biologicamente ativos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3371
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4141_1.pdf1.68 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.