Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3278
Título: Carreador lipídico nanoestruturado à base de cera de carnaúba: desenvolvimento, caracterização e uso na encapsulação de benzofenona-3
Autor(es): de Paiva Lacerda, Suênia
Palavras-chave: Nanopartículas lipídicas sólidas; Benzofenona-3; Cera de carnaúba; Carreadores lipídicos nanoestruturados
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Paiva Lacerda, Suênia; Inês Ré, Maria. Carreador lipídico nanoestruturado à base de cera de carnaúba: desenvolvimento, caracterização e uso na encapsulação de benzofenona-3. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: Nanopartículas lipídicas sólidas constituídas de lipídios puros (NLS) ou mistura de lipídios sólidos e líquidos (CLN) têm sido propostas como uma categoria de carreadores para ingredientes cosméticos de atual e crescente interesse devido a uma série de vantagens quando comparadas a formulações convencionais. As ceras naturais são consideradas matrizes lipídicas de grande potencial para a produção de NLS de administração tópica, em função da baixa toxicidade e biocompatibilidade, além de melhorar a aparência da pele, aumentar a elasticidade e ainda possuir uma função de barreira física. O presente trabalho teve por objetivo desenvolver um nanocarreador do tipo CLN baseado no uso de cera de carnaúba, veiculando benzofenona-3 (BZ-3) como um ativo modelo lipofílico. Inicialmente as principais matérias primas utilizadas (cera de carnaúba e benzofenona-3) foram caracterizadas fisicoquimicamente (calorimetria exploratória diferencial, espectrometria no infra-vermelho, difratometria de raios-x). Prosseguindo a etapa de caracterização, caracterizou-se a mistura de cera de carnaúba e oleato de isodecila verificando-se o efeito da associação do óleo à cera de carnaúba (redução do ponto de fusão). CLN constituídas de cera de carnaúba e oleato de isodecila foram primeiramente desenvolvidos sem ativo, investigando-se, com o auxílio de um planejamento estatístico de experimentos o efeito de variáveis de formulação (24 fatorial, 16 experimentos) e de processo (24 fatorial, 16 experimentos) sobre as características dos produtos como tamanho de partículas e índice de polidispersão. Verificou-se que o tipo de emulsificante, a proporção cera:óleo, a pressão de homogeneização e o número de ciclos foram os fatores que influenciaram significativamente estas características dos CLN. Por fim, investigou-se o efeito da incorporação de BZ-3 em CLNs formulados e preparados em condições assegurando as melhores características dos sistemas como faixa de tamanho (200-300nm) e índice de polidispersão (< 0,2). O parâmetro de estudo foi o teor de BZ-3 nas nanopartículas constituídas da mistura cera de carnaúba-oleato de isodecila (1:1) que correspondeu à 0, 4,8; 9,1; 23,1 e 33,3 &#956;gBZ-3/mg fase lipídica. Foram determinados os seguintes parâmetros: eficiência de encapsulação, estabilidade física das nano-suspensões, pH, viscosidade, potencial zeta, capacidade de liberação e de penetração in vitro. De acordo com os resultados obtidos, a matriz lipídica composta de cera de carnaúba e oleato de isodecila na proporção mássica de 1:1 possui uma capacidade máxima de incorporação de BZ-3 de cerca de 4-5 % BZ-3 (massa BZ-3/massa nanopartículas). Por fim, o conjunto de resultados obtidos demonstra que os CLN de cera de carnaúba e oleato de isodecila são sistemas promissores para a veiculação de filtros UV (efeito oclusivo, baixa penetração na pele, capacidade de encapsular um filtro solar como BZ-3)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3278
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2158_1.pdf4,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.