Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3180
Title: Estudo sobre as formas de representação da água em uma zona rural do semi-árido, a partir dos usos e práticas desenvolvidos no Município de Estrela de Alagoas - AL
Authors: Magna Ferreira da Silva, Karla
Keywords: Água Uso;Água Consumo;Comunidades rurais;Abastecimento de água no campo
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Magna Ferreira da Silva, Karla; Tôrres Aguiar Gomes, Edvânia. Estudo sobre as formas de representação da água em uma zona rural do semi-árido, a partir dos usos e práticas desenvolvidos no Município de Estrela de Alagoas - AL. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: Esta dissertação utilizou a Teoria das Representações Sociais como principal ferramenta teórico-metodológica, por entender que o sujeito atribui sentido a um dado objeto a partir de suas relações práticas naturais e sociais. O município de Estrela de Alagoas, área de estudo escolhida, localizado no semi-árido do Estado de Alagoas, caracteriza-se por uma estação chuvosa que dura de 3 a 4 meses e uma estação seca longa, de escassez de qualidade e quantidade de água para todos os usos. A região é predominantemente rural, dividindo-se em 81 localidades de sítios e povoados e uma pequena sede municipal. Os sujeitos da pesquisa são essencialmente pequenos agricultores de subsistência, professoras, sindicalistas rurais, agentes de saúde, presidente de associações e movimentos de agricultores. Esta pesquisa objetivou identificar as percepções de quantidade e qualidade das fontes disponíveis de água pelas famílias e apreender os significados e sentidos associados à água, manifestados nas falas, depoimentos e histórias relacionadas aos usos e práticas sociais ligadas à água. Os procedimentos metodológicos utilizados incluíram entrevistas semi-estruturadas, na forma de conversas informais, relacionadas com os comportamentos durante os períodos seco e chuvoso. As perguntas formuladas abrangeram aspectos referentes aos usos, consumo e atitudes no trato com a água, envolvendo questões abertas para identificação de constituintes de representações comuns ao grupo investigado. Foram ainda realizadas entrevistas gravadas, a partir de apenas uma pergunta indutora: O que você tem a dizer sobre a água? Como resultado, identificou-se um campo comum das representações orientado pela idéia da água como fonte de vida, fenômeno do divino, enquanto objeto político, de identidade e imigração. Para os agricultores investigados, o consumo de água é essencialmente doméstico. De maneira geral, eles consideram a água da chuva como a de melhor qualidade, atribuindo a melhoria da qualidade de vida à construção de cisternas e e à realização de programas do governo (aposentadoria e bolsas família). A questão da água é muitas vezes percebida como restrita aos seus aspectos físicos, sendo ressaltada também a característica de abundância ou escassez das chuvas. Este trabalho preocupou-se em validar os conhecimentos do senso comum que se definem na dinâmica das relações entre populações que interagem em situações de escassez de água
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3180
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo2135_1.pdf5.22 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.