Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3176
Título: Discurso sobre espaços populares na Web: investigação de estigmas sobre a comunidade do Coque
Autor(es): SILVA, Igor Frederick Cabral Ferreira da
Palavras-chave: Coque; discursos; mídias digitais; Rede Coque Vive
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Frederick Cabral Ferreira da Silva, Igor; Carla Fechine de Brito, Yvana. Discurso sobre espaços populares na Web: investigação de estigmas sobre a comunidade do Coque. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Esta pesquisa propõe-se a investigar de que formas os discursos sobre o Coque, uma comunidade de 12.000 habitantes localizada no espaço central do Recife e historicamente estigmatizada nos veículos de comunicação tradicionais, circulam na web. O estudo toma como ponto de partida e referência a atuação da Rede Coque Vive, que reúne um conjunto de atores sociais (universidade, associação comunitárias, coletivos jovens) empenhado, entre outras coisas, em transformar as representações midiáticas do bairro dentro e fora da comunidade. Assumindo como pressuposto o princípio da livre circulação de discursos nos meios digitais, que os alçou à condição de contraponto à hegemonia das mídias tradicionais, investigamos de que maneira os enunciados produzidos nesse ambiente são também determinados pelos processos sociodiscursivos das grandes mídias, verificando se reproduzem as mesmas abordagens dadas a espaços populares, como o Coque, ou se, de fato, produzem outras representações. A partir do recorte de três posicionamentos discursivos (da comunidade, da Rede Coque Vive e da grande mídia), ancorados em lugares de fala distintos, e observando de que maneira eles interagem e se diferenciam dentro dos ambientes do Orkut e do Youtube, verificamos entre os posicionamentos discursivos da comunidade e da grande mídia um alto grau de continuidade temática (resumida especificamente nos temas da violência, da erotização, e das celebridades), ainda que com uma valoração distinta (e por vezes até inversa). Por sua vez, os temas propostos pela Rede Coque Vive (como o pertencimento comunitário e a disputa pela terra) apresentam dificuldade de circulação. A observação dessas continuidades nos leva a inferir que a mera disponibilidade de acesso não implica a apropriação das mídias digitais. Esse estudo de caso também nos permite afirmar que a superação das lacunas de participação advindas das desigualdades de acesso (que dizem respeito às experiências, habilidades e conhecimentos prévios necessários ao uso competente) só se dá a partir do engajamento em relações que permitam expandir a capacidade de expressão, o entendimento do mundo (saber se inserir nas práticas sociais) e uma melhor compreensão dos processos de regulação das mídias (práticas discursivas). É a partir daí que advogamos a necessidade de vinculação desses sujeitos na rede virtual (web) a redes sociais concretas, capazes de estimular a ação coletiva, o envolvimento comunitário e o pensamento crítico
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3176
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Comunicação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2984_1.pdf1,43 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.