Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2997
Título: Incontinência urinária feminina : alterações ultra-sonográficas da junção uretrovesical, uretra proximal e distância pubouretral causadas pela cirurgia da fita vaginal sem tensão utilizada para tratamento da incontinência urinária de esforço
Autor(es): Wanderley dos Santos Junior, Misael
Palavras-chave: Incontinência urinária
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Wanderley dos Santos Junior, Misael; Teixeira Brandt, Frederico. Incontinência urinária feminina : alterações ultra-sonográficas da junção uretrovesical, uretra proximal e distância pubouretral causadas pela cirurgia da fita vaginal sem tensão utilizada para tratamento da incontinência urinária de esforço. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Cirurgia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: Foram objetivos do presente estudo avaliar as alterações dos parâmetros uroginecológicos correspondentes ao diagnóstico de incontinência urinária de esforço (IUE), após a cirurgia da fita vaginal sem-tensão (tension-free vaginal tape-TVT). Os seguintes parâmetros foram avaliados: as distâncias vertical e horizontal da junção uretrovesical (respectivamente DVJUV e DHJUV); a distância pubouretral (DPU) e o comprimento da uretra proximal (UP) medidos por ultra-sonografia no pré e pós-operatórios. Também foram avaliadas a eficácia e segurança deste procedimento no tratamento da (IUE) feminina. Foram estudadas 22 mulheres, com idades entre 42 e 72 anos (média de 59 anos) com queixas clínicas prioritárias de IUE. As pacientes foram avaliadas na Unidade de Pesquisa em Incontinência Urinária (UPIU) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Todas as pacientes responderam a questionário específico e foram submetidas a exame físico uroginecológico e ultra-sonografia transperineal ou transvulvar para aferir as medidas da DVJUV, DHJUV, DPU e UP ao repouso e durante o esforço (manobra de Valsalva). As avaliações foram realizadas antes e no mínimo 4 semanas após a cirurgia de TVT. A taxa de sucesso da cirurgia de TVT para tratamento da IUE foi de 91% ao primeiro exame e 95,5% ao final de 3 meses, não tendo sido verificado complicações relativas ao procedimento. A ultra-sonografia transperineal demonstrou associação significativa com o diagnóstico clínico de IUE e o TVT provou ser um procedimento seguro e eficaz como tratamento cirúrgico da IUE, modificando significantemente os parâmetros DVJUV (p=0,0005) e UP (p=0,02), reduzindo a hipermobilidade da JUV nessas pacientes
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2997
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Cirurgia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5413_1.pdf1,42 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.