Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2883
Título: Solidariedade em comunidades de baixa renda: análise das práticas cotidianas e da relação com o lugar a partir do sistema da dádiva
Autor(es): BARROS E SILVA, Edinéa Alcântara de
Palavras-chave: Política habitacional; Conjunto habitacional; Comunidades de baixa renda; Mutirão; Lugar; Cotidiano; Dádiva; Solidariedade
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Alcântara de Barros e Silva, Edinéa; Maria Gama Monteiro, Circe. Solidariedade em comunidades de baixa renda: análise das práticas cotidianas e da relação com o lugar a partir do sistema da dádiva. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Momentos de crise econômica e ambiental parecem favorecer o resgate da solidariedade e da dádiva para promover o fortalecimento de pequenas comunidades. Esta tese discute como a população de baixa renda enfrenta os problemas e dificuldades do cotidiano, encontrando na solidariedade e na dádiva recursos para lidar com amplas necessidades em face da insuficiência e da ineficácia das políticas públicas. Foram escutadas 95 pessoas líderes comunitários, moradores, parentes, conhecidos, técnicos, gestores e pedreiros de áreas pobres, por meio de entrevistas, grupos focais e relatos de história de vida. Foram investigadas também situações na produção informal de habitações em comunidades de baixa renda. A dádiva surge na vida das pessoas como um recurso real e potencial para lidar com a escassez, problemas e dificuldades cotidianas na vida nessas localidades. Essas práticas estão estruturadas na obrigação tripartite de dar-receber-retribuir, em que se fundamenta o sistema da dádiva. Os resultados revelam que manifestações de solidariedade e dádiva ocorrem de distintas formas. As motivações encontradas para ajudar ao outro podem estar associadas: i) ao contexto pessoal, aos valores morais individuais, fundados na religiosidade ou educação familiar, e à retribuição; ii) ao contexto do outro, pela relação com o outro, de parentesco, de amizade, (des)conhecidos e de compromisso com o coletivo, ou ao contexto socioeconômico do outro, por urgência e necessidades; e iii) ao contexto espacial, na provisão da casa, ou na relação de identidade e pertencimento ao lugar. No entanto, esse recurso poderoso pode ser enfraquecido e até destruído por políticas públicas inadequadas. Conhecer o fenômeno, assim como seus fatores de indução e restrição pode ajudar a fortalecer os processos orgânicos e sustentáveis, imprescindíveis para a superação das dificuldades enfrentadas pelas populações pobres para conquistar um espaço na cidade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2883
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Desenvolvimento Urbano

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1948_1.pdf5,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.