Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/28093
Título: Escritos e práticas na trajetória do médico Octávio de Freitas no Recife
Autor(es): GOUVEIA, Bruno Márcio
Palavras-chave: História; Freitas, Octávio de, 1871-1849; Medicina – História; Medicina – Biografia
Data do documento: 14-Jul-2017
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta dissertação tem o objetivo de investigar a trajetória de Octávio de Freitas, médico piauiense radicado no Recife, enfatizando as nuances que o tornam uma figura emblemática da história da saúde pernambucana. A partir de sua vasta produção em textos escritos, é possível compreender os diversos fragmentos de sua trajetória profissional. Utiliza-se o conceito de campo operado pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu para analisar quais foram as estratégias utilizadas para a inserção e os possíveis deslocamentos que realizou na prática da medicina experimental, campo em construção no Brasil dos finais do século XIX e início do XX. Para a execução da pesquisa é realizado o cruzamento de diversas fontes: autobiografias, biografias, periódicos, atas, ofícios e regulamentos de higiene. Com essas fontes o trabalho divide-se em três partes. O primeiro, “Nos fios da memória: o homem e o seu tempo”, tem como proposta ressaltar os fragmentos biográficos do respectivo médico. Apresenta elementos essenciais de sua trajetória e analisa as construções elaboradas em torno de sua figura pela sua autobiografia e pelos seus memorialistas. O segundo momento, “Octávio de Freitas e o contexto da ciência brasileira”, objetiva contextualizá-lo dentro da dinâmica da ciência brasileira no final do século XIX e início do XX, destacando sua atuação à frente do Instituto Pasteur de Pernambuco e da Liga Pernambucana Contra a Tuberculose. É abordado também, o processo de articulação percorrido para o funcionamento da Faculdade de Medicina de Recife. No Terceiro, “Recife: o saber médico de Octávio de Freitas em tempos de modernização urbana”, procura entender as relações construídas entre a medicina sanitarista e higienista, e a modernização urbana no Recife nas primeiras décadas do início do século XX. Destaca-se sua atuação na Diretoria de Higiene e no combate à epidemia da Gripe Espanhola em 1918. A pesquisa indica que Octávio de Freitas, por meio de seus escritos e práticas, contribuiu para o processo de autonomização do campo da medicina científica no Brasil.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/28093
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - História

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Bruno Márcio Gouveia.pdf2,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons