Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/28083
Título: Epidemiologia das cardiopatias congênitas e a influência de fatores sócio-ambientais no estado da Paraíba
Autor(es): GOMES, Renata Grigório Silva
Palavras-chave: Cardiopatias congênitas; Epidemiologia; Paraíba
Data do documento: 21-Dez-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Cardiopatia congênita é um termo utilizado para descrever anormalidades do coração e dos grandes vasos que ocorrem enquanto o feto está se desenvolvendo no útero. Considerada uma das principais causas de morbidade e mortalidade neonatal, apesar da sua importância, muitas vezes é sub-notificada levando a má documentação da sua verdadeira incidência. Este trabalho tem por objetivo descrever o perfil epidemiológico das CC no estado da Paraíba a partir da implantação da rede de cardiologia pediátrica; e relacionar a distribuição espacial de sua incidência através da identificação de padrões espaciais de seu aparecimento e os fatores de risco associados. Trata-se de um estudo ecológico com abordagem quantitativa e exploratória utilizando dados de neonatos diagnosticados com CC de Jan-2012 a Dez-2015 na Paraíba. A análise dos dados foi exploratória e espacial onde mapas de razão de incidência foram gerados para comparar casos com CC entre os municípios e mapas cloropléticos foram criados para demonstrar espacialmente a razão de incidência. Bolsões de CC foram identificados através do método de varredura espacial Scan e índices sóciodemográficos foram comparados entre as áreas. Foram avaliados 110.219 neonatos os quais foram diagnosticados 1.486 CC comparado com 41 casos reportados no SINASC. Para a razão de incidência (RI), 58 municípios (26,00%) apresentaram RI > 1,5, e em 8 (3,58%) ele foi maior do que 4,0. Por outro lado, 121 municípios (54,26%) demonstraram menor RI para CC (RI<1,0). O método de varredura espacial Scan identificou várias áreas significativa de ocorrência CC no estado. Esses bolsões estavam associados com áreas de grande desigualdade social. Este estudo documentou uma incidência muito mais alta de CC na Paraíba, do que aquela reportada nos sites oficiais. Ele também identificou bolsões de CC no estado e apontou para novos fatores de risco. Esses achados podem ser utilizados para apoiar o desenvolvimento de estratégias públicas para promover a saúde e prevenir a doença.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/28083
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Biologia Aplicada à Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Renata Grigório Silva Gomes.pdf4,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons