Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/25517
Title: Avaliação cintilográfica da distribuição e deposição pulmonar de radioaerossol baseada na análise anatômica e efeito da variação do fluxo e aquecimento na deposição pulmonar do radioaerossol através do sistema de alto fluxo com cânula nasal
Authors: SILVA, Luciana Alcoforado Mendes da
Keywords: Terapia respiraratória; Aerossóis; Pulmões-doenças
Issue Date: 7-Mar-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Introdução: Vários são os desafios relacionados à aerosolterapia desde a eficácia e efetividade de sua oferta, bem como, busca de novos métodos para análise das imagens adquiridas e a precisão dos locais de deposição da distribuição do aerossol. A deposição do radioaerossol avaliado por meio da cintilografia de inalação pulmonar utilizando sistemas de alto fluxo com cânula nasal (AFCN), em humanos, não é conhecido, assim como, a estimativa da distribuição da deposição do radioaerossol utilizando o conceito de Grayscale por meio da determinação da Voxel Influence Matrix (VIM), fornecendo estimativas mais precisas dos índices de deposição pulmonar. Objetivos: Artigo Original 1- Descrever um novo método para analisar as imagens cintilográficas de deposição do radioaerossol baseado em regiões de interesse (ROIs) anatomicamente derivadas que permite estimar a deposição do radioaerossol nas vias aéreas centrais delimitando-a das demais áreas do pulmão de forma objetiva e sistemática. Artigo Original 2 - Comparar o efeito do fluxo do gás , aquecimento e umidificação na deposição e distribuição do radioaerossol durante a utilização do sistema de HFNC em adultos saudáveis. Materiais e Métodos: Dois artigos foram desenvolvidos a partir da inalação do radioaerossol (99mTc-DTPA, atividade 1mCi e 25 mCi) com 1ml de solução salina a 0,9%. No primeiro, imagens cintilográficas de 15 pacientes com diagnóstico clínico de asma moderada a grave (12 mulheres e 3 homens) foram avaliadas por meio de um software desenvolvido para analisar as imagens cintilográficas e reconstruir os dados em pixels a partir da intensidade da Grayscale. Dois formatos diferentes de ROIs foram delimitadas – anatômico (aROI) e box (bROI) – e estimando valores da razão de contagens periférica e central (P/C) e o índice de penetração do radioaerossol (IPR). No segundo, 23 indivíduos adultos saudáveis de ambos os sexos entre 18 e 65 anos foram randomicamente alocados em três grupos de acordo com o fluxo de oxigênio 10L/min (n = 8), 30L/min (n = 7) e 50L / min (n = 8). Tecnécio-99m marcado com 1mCi foi adicionado a 1ml de soro fisiológico a 0,9% e foi administrado por um nebulizador de membrana (Aerogen Solo, Aerogen Ltd, Galway, Irlanda) acoplado ao umidificador e ofertado através da AFCN. Imagens dos pulmões, das vias aéreas superiores, do estômago e dos componentes do dispositivo foram obtidos com a cintilografia. Resultados: No primeiro estudo, verificou-se que a razão P/C foi influenciada pelo formato dos ROI’s superestimando valores, principalmente para a região central quando comparado aROI e bROI (1,75 ± 0,33 versus 1,19 ± 0,24, p<0,001). Quanto a valores de IPR, não observamos diferenças nas estimativas 2D ao comparar aROI com bROI ( 0,651± 0,125 versus 0,651± 0,131, p= 0,948). Quando comparados IPR 2D e 3D, observou-se que nos ROI’s anatômicos esses valores foram superestimados em 28 vezes e no Box, 36 vezes (p < 0,001). No segundo artigo verificou-se que a deposição nos pulmões foi de 3 a 5 vezes superior ao utilizar o fluxo de 10 L/min quando comparado a 30 e 50 L/min (11,81 ± 4.90 %, 3,76 ± 1.36 % e 2,23 ± 0.81 %, respectivamente; p <0,001). A deposição na cânula nasal foi superior em taxas de fluxos mais elevados (50 L/min- 13,77 ± 3,7%, p <0,001) em comparação com 30 L/min (9,76 ± 2,47 %) e 10 L/min (6,51 ± 2,46 %). No sistema não aquecido, a massa inspirada de aerossol foi semelhante a condição aquecida no fluxo de 10L/min, porém a altos fluxos (30L/min e 50L/min) observou-se uma maior deposição no sistema não aquecido (p = 0,011). Quanto a correlações, uma correlação negativa foi observada entre deposição pulmonar e filtro expiratório e positiva com a cânula. Conclusão: Considerando o primeiro artigo, nossos resultados apontam que a expansão do conceito bidimensional dos ROI’s para o domínio Grayscale através da definição do modelo VIM permitiu uma melhor predição de valores relacionados ao padrão de distribuição da deposição do radioaerossol na árvore traqueobrônquica. No segundo artigo, nossos resultados também sugerem que a administração do aerossol através AFCN é capaz de promover uma efetiva deposição do aerossol a partir de ajustes no fluxo e na umidificação do sistema.
Description: SILVA, Luciana Alcoforado Mendes da, também é conhecida em citações bibliográficas por: ALCOFORADO, Luciana
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/25517
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Biologia Aplicada à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE Luciana Mendes da Silva.pdf5.3 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons