Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/24290
Título: Dinâmica de Serapilheira e diversidade de fungos em solo de sistema agroflorestal
Autor(es): COSTA, Phelipe Manoel Oller
Palavras-chave: Liteira; Micobiota do solo; Agrofloresta
Data do documento: 26-Fev-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Sistemas agroflorestais se apresentam como alternativa à monocultura agrícola, por serem mais sustentáveis. Dentre suas vantagens, destaca-se o grande aporte de serapilheira sobre o solo que contribui para adição de matéria orgânica, contribuindo com aumento da diversidade e a atividade de microrganismos no solo, fertilidade e produtividade. Os fungos são importantes componentes da microbiota do solo e são fundamentais para a manutenção e o funcionamento de solos por participarem da ciclagem da matéria orgânica. Assim, o objetivo desse trabalho foi estudar a dinâmica da serapilheira em sistema agroflorestal e seu efeito sobre a estrutura e função da comunidade de fungos filamentosos no solo desse sistema de cultivo. Foram coletados mensalmente dados de serapilheira total produzida e trimestralmente de serapilheira total acumulada no solo, durante três anos de pesquisa. Foi estimada a taxa de decomposição, pela relação entre o material produzido e acumulado, e a velocidade de decomposição foi determinada com o uso de litterbags. Foram também realizadas oito coletas de solo a cada três meses. As amostras de solo foram submetidas à análise química, isolamento de fungos pela técnica da diluição seriada, análise molecular da comunidade de fungos filamentosos pela técnica de eletroforese em gel com gradiente desnaturante (DGGE) e análise da evolução do CO2. Por meio dos dados obtidos no isolamento foi determinada a densidade, diversidade, riqueza, equitabilidade, dominância e aplicados modelos hipotéticos de distribuição de abundância das espécies. A produção média anual de serapilheira foi de 8.383 kg.ha-1 e a média anual de serapilheira acumulada foi 6.320 kg.ha-1. A taxa média anual de decomposição da serapilheira foi estimada em 1,41. A respiração microbiana não apresentou diferença estatística entre os períodos avaliados. Foi constatado que o processo de decomposição da serapilheira é lento, apresentando perdas mais significativas nos três primeiros meses. Foram identificadas 110 espécies de fungos, sendo a maioria sapróbios e algumas espécies que também são potenciais antagonistas de organismos fitopatógenos. O modelo serie logarítmica foi o que melhor representou a comunidade. A diversidade e a riqueza foram altas, permanecendo sem grandes variações durante o período avaliado, porém a estrutura da comunidade sofre mudanças durante o processo de decomposição da serapilheira. O sistema agroflorestal apresenta dinâmica de serapilheira dentro da faixa esperada para florestas tropicais, particularmente semelhante à de Mata Atlântica, influenciada pela precipitação pluviométrica, sendo maior nas estações de estiagem.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/24290
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Phelipe Manoel Oller Costa.pdf1,95 MBAdobe PDFVer/Abrir    Item embargado


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons