Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/24267
Título: Inferências paleoambientais na Bacia Pernambuco (Furo Iate 1 Labio-PE3, Albiano-Maastrichtiano) com base em análise de palinofácies
Autor(es): RAMIREZ, Juan David Vallejo
Palavras-chave: Geociências; Bacia Pernambuco; Formação; Matéria orgânica; Palinofácies
Data do documento: 10-Mar-2017
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Com o objetivo de compreender a evolução paleoambiental na Bacia Pernambuco, foi realizada uma análise de palinofácies no poço Iate 1 LABIO-PE3, perfurado na margem sul do Estado de Pernambuco. Os estudos foram realizados em 26 amostras coletadas entre as profundidades de 41,5m e 143,8m no intervalo Albiano - Maastrichtiano, abrangendo as formações Cabo, Estiva, Itamaracá e Gramame. As amostras foram preparadas e analisadas seguindo a metodologia padrão para palinofácies. Três categorias de matéria orgânica palinológica foram identificadas: fitoclastos, matéria orgânica amorfa (MOA) e palinomorfos. Com base na origem da matéria orgânica sedimentar seis associações de palinofácies foram estabelecidas: MOA, Opacos, Terrígenos, Degradados, Esporomorfos e Elementos Marinhos. As mudanças na distribuição estratigráfica das associações permitiram identificar quatro intervalos. Os quatro intervalos identificados pelas associações de palinofácies coincidem com as formações estudadas. A Palinofácies Opacas é predominante na Formação Cabo sugerindo um ambiente associado à fonte flúvio-deltaica ou mesmo à exposição subaérea. Na Formação Estiva a abundância das Palinofácies Opacas continua alta, porém acompanhada de altos valores das Palinofácies Terrígenos e presença de palinomorfos continentais sugerindo ambiente proximal com forte fluxo terrígeno típico de um ambiente flúvio-deltaico. A Formação Itamaracá se registra aumento na quantidade de palinomorfos marinhos na seção estudada indicando uma subida do nível do mar. Porém, o fluxo de elementos continentais continua nesse intervalo sugerindo um ambiente marinho raso. A Formação Gramame está representada na seção apenas com quatro amostras; contudo com valores elevados de palinofácies Marinho, Opacos e MOA sugerindo ambiente marinho raso. A evolução paleoambiental da seção estudada reflete uma progressiva influência marinha na área. Os resultados obtidos confirmam a mudança de um ambiente flúvio deltaico para um ambiente marinho raso aberto controlada pelas mudanças do nível do mar.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/24267
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAO Juan David Vallejo Ramirez.pdf2,32 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.