Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23856
Título: Avaliação do efeito protetor de óleos essenciais extraídos de Eugenia brejoensis e Croton sp. contra a morte celular induzida pelo estresse oxidativo
Autor(es): BEZERRA FILHO, Clovis Macêdo
Palavras-chave: Plantas medicinais; Essências e óleos essenciais; Sêmen
Data do documento: 10-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A Caatinga é um bioma extremamente rico cujas espécies vegetais apresentam promissor potencial farmacológico. Baseados no conhecimento popular, o uso de extratos e óleos essenciais obtidos pelos mais variados métodos extrativos tem motivado a pesquisa científica em busca de moléculas ou o conjunto delas com notável aplicação medicinal. A literatura demonstra que desde a antiguidade os óleos essenciais são empregados em diversas áreas da medicina e da cosmética; na área de medicamentos à base de vegetais são descritos também como fatores regulatórios da fertilidade. O presente estudo visou obter e caracterizar os óleos essenciais de três espécies da caatinga: Eugenia brejoensis, Cronton sp. e Myroxylon peruiferum, bem como avaliar suas ações frente a morte celular de células Vero e a motilidade de espermatozoides humanos. Adicionalmente, objetivou-se efetuar uma ampla revisão sobre o efeito citoprotetor contra H2O2 como um método de análise de atividade antioxidante de plantas. Os óleos foram extraídos por hidrodestilação porém apenas as espécies Eugenia brejoensis e Myroxylon peruiferum apresentaram rendimento suficiente a serem analisados em GC/MS, para tal utilizou-se colunas DB-5 de sílica, cujos resultados foram expressos em porcentagem. Amostras de sêmen foram coletadas de 12 indivíduos voluntários férteis do sexo masculino, com idades entre 18 e 45 anos, após um período de abstinência sexual de 48 a 120 h. A ação espermostática dos óleos foi testada em microplacas, utilizando diferentes concentrações dos mesmos (25, 50, 100, 200, 400 μg/mL). Os experimentos foram efetuados, em triplicata, com seis ensaios independentes e, para cada concentração foram avaliados os intervalos de 5, 15 e 30 min. O óleo essencial de Eugenia brejoensis apresentou em sua constituição δ-cadinene (15,33%), β-cariofileno (11,30%), biciclogermacreno(10,38%), α-muurolol (8,43%) e α-cadinol (8,12%), enquanto o óleo de Myroxylon peruiferum apresentou espatulenol (16,44%), α-pineno (9,82%), γ-muuroleno (7,13%) e óxido de cariofileno(6,59%), como compostos majoritários, respectivamente. Ambas as plantas exibiram ação espermostática de maneira dose-dependente. Os melhores resultados foram obtidos para o óleo de Eugenia Brejoensis em todos os tempos de tratamento apresentando IC50 de 28,99 μg/mL (5 min), 35,19 μg/mL (15 min) e 14,79 μg/mL (30 min), entretanto o óleo de Myroxylon peruiferum também mostrou um potencial imobilizante significativo com IC50 42,92 μg/mL (5 min), 46,32 μg/mL (15 min) e 41,69 μg/mL (30 min). Este estudo demonstrou pela primeira vez que os óleos essenciais de Eugenia brejoensis e Myroxylon peruiferum apresentam propriedade espermostática potencial sobre os espermatozoides humanos. Em seguida, efetuou-se ampla revisão de literatura na qual também observou-se que os óleos essenciais e extratos de plantas apresentam-se como excelentes fontes de moléculas antioxidantes, com extensa aplicação em modelos biológicos in vitro para o combate ao estresse oxidativo causado por H2O2..Outros trabalhos visando caracterizar os mecanismos de ação dos óleos de E. brejoensis e M. peruyferum, bem como sinergismo de seus compostos majoritários serão alvos de futuras pesquisas do nosso grupo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23856
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Clovis Bezerra Filho - DISSERTAÇÃO - MESTRADO.pdf1,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons