Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23547
Título: Sentidos da escola para jovens com trajetórias escolares desiguais
Autor(es): SILVA, Andréa Carla Castro e
Palavras-chave: Escolas públicas- aspectos sociais; Jovens pobres- Educação; Cultura escolar; UFPE – Pós-graduação
Data do documento: 26-Set-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta dissertação tem como objeto de investigação a relação de jovens detentores de trajetórias desiguais de escolarização com a cultura escolar. Analisamos os sentidos da escola para estudantes matriculados em uma classe de correção de fluxo escolar das séries finais do ensino fundamental para compreender até que ponto a relação com a cultura escolar influencia na produção das trajetórias desiguais. O nosso objetivo é observar como esses estudantes se relacionam com as normas estabelecidas pelo espaço escolar; quais conhecimentos valorizam e como articulam esses conhecimentos com outras dimensões de suas vidas; identificar interesses e expectativas em relação à escolarização e compreender a formação ideológica que norteia a construção de sentidos sobre a escola pelos estudantes. Para tanto, nos debruçamos sobre diversos discursos a respeito das funções sociais da escola, a partir dos enunciados trazidos por diferentes autores da teoria educacional, tais como: Althusser, Boweles e Gintes, Bourdieu e Passeron, Canário, Freire, Arroyo, Saviani, Libâneo, Varela e Álvarez-Uria, Costa e Veiga-Neto. Aprofundamo-nos também em estudos de autores que problematizam a relação da juventude oriunda das classes populares com a cultura escolar, a exemplo de Forquin, Young, Dubet, Charlot e Goodson. Ressaltamos ainda o respaldo trazido à pesquisa com a contribuição de autores contemporâneos brasileiros da Sociologia da Educação que discutem sobre as juventudes na atualidade: Abramo; Carrano, Dayrell e Spósito. Para atender os objetivos da pesquisa, delineamos um percurso analítico embasado nos discursos sobre a escola como uma questão pública, democrática e como espaço de relação com o saber, conforme apontado por Masschelein e Simons, Giroux e Charlot. Também nos apoiamos no arcabouço conceitual e metodológico desenvolvido por Orlandi para elucidar a construção de sentidos realizada pelos jovens por meio de seus discursos. O corpus de análise foi constituído pelos enunciados sobre a escola e a cultura escolar apresentados pelos jovens durante uma seção de grupo focal, por meio de questionários estruturados e de observações não participantes realizadas em uma Escola da Rede Estadual de Pernambuco. Os discursos produzidos pelos estudantes apontam a escola como lugar de viver o presente e de se preparar para o futuro; lugar de qualidade; lugar de disciplinamento; lugar de relação com os adultos e lugar de relação com o saber. Procuramos enfatizar com os resultados desta pesquisa a multiplicidade de sentidos sobre a escola manifestada nos discursos dos estudantes, destacando o papel dessa instituição na condução dos processos de socialização e de formação da juventude. Esses sentidos ora são construídos sob influência das experiências dos estudantes no espaço escolar, ora são influenciados pelos interdiscursos, baseados nos discursos produzidos na mídia, na família, na comunidade e na própria escola. Identificamos que o desinteresse pela escola ou o pouco investimento por parte dos estudantes jovens em seus processos de escolarização decorrem, em muitos casos, da insatisfação e da ausência de sentidos diante das práticas, espaços, tempos e objetos escolares que configuram a cultura escolar.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23547
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Andrea Castro_FINAL para depósito.pdf2,34 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons