Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23368
Título: Efetividade do uso de compressas mornas, massagem perineal e hands off durante o segundo período do parto, nos desfechos perineais
Autor(es): ALVES, Jânio do Nascimento
Palavras-chave: Proteção; Lesões; Dor; Diafragma da pelve; Parto normal
Data do documento: 30-Set-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Introdução: lesões no trato genital após o parto trazem prejuízos em curto e longo prazo para a saúde da mulher, portanto, estratégias de proteção perineal durante o período expulsivo precisam ser investigadas. Objetivo: Comparar a efetividade do uso de massagem perineal, compressas mornas e hands off durante o período expulsivo nos desfechos perineais em curto prazo. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado controlado piloto envolvendo 55 parturientes, no período de abril de 2015 a julho de 2016. Um grupo foi submetido à aplicação de compressas mornas na região do períneo, outro grupo recebeu massagem perineal e um terceiro grupo não recebeu nenhuma intervenção (hands off). As características basais dos três grupos foram comparadas pelo teste de Anova ou Kruskal-Wallis, dependendo do teste de normalidade (Kolmogorov-Smirnov). O Risco Relativo (RR) dos preditores teve sua significância estatística determinada pelo teste Qui-quadrado de Wald. Adotou-se um nível de significância de 5%. Resultados: Não houve diferenças entre os grupos em nenhum desfecho avaliado. Risco de laceração perineal: massagem perineal x hands off (RR 1,64, IC(95%) 0,49 a 5,54), compressas mornas x hands off (RR 0,95, IC(95%) 0,24 a 2,75) e compressas mornas x massagem perineal (RR 0,58, IC(95%) 0,16 a 2,19). Grau de laceração ou necessidade de sutura: massagem perineal x hands off (RR 0,96, IC(95%) 0,5 a 1,84), compressas mornas x hands off (RR 0,85, IC(95%) 0,45 a 1,63) e compressas mornas x massagem perineal (RR 0,89, IC(95%) 0,43 a 1,85). Edema perineal na primeira hora pós-parto ou dor perineal 24 horas após o parto. O uso de analgésicos: massagem perineal x hands off (RR 1,21, IC(95%) 0,84 a 1,75), compressas mornas x hands off (RR 0,85, IC(95%) 0,16 a 5,61) e compressas mornas x massagem reflexa (RR 0,39, IC(95%) 0,08 a 1,83). Dor perineal ou satisfação com a técnica utilizada. Conclusão: Nesse estudo piloto o uso das estratégias de proteção perineal estudadas não alterou os desfechos perineais.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23368
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Fisioterapia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação completa.pdf1,01 MBAdobe PDFVer/Abrir    Item embargado


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons