Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23318
Título: Dinâmica costeira na praia de formosa – município de Cabedelo, PB
Autor(es): HENRIQUE, Isla Kaliane de Alexandria
Palavras-chave: Geociências; Dinâmica costeira; Sedimentologia; Praia formosa; Granulometria
Data do documento: 23-Mai-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: As zonas costeiras são áreas de fundamental importância, desde o processo de colonização até os dias atuais. Estas regiões são extremamente complexas e dinâmicas, ocorrendo diariamente à atuação de diversos elementos da natureza. As ações antrópicas geram diversos problemas nessas áreas, tornando-as ambientes fragilizados. Grandes concentrações de edificações, tais como portos, condomínios, estradas, diques, entre outros, no domínio do litoral, sobre dunas e pós-praia, agridem a paisagem, e contribuem para o aumento do déficit de sedimentos e, por conseguinte, a erosão. O conjunto de fatores condicionantes que atuam no litoral do estado da Paraíba proporciona características ambientais diversas. Inserida na porção norte do litoral do Estado da Paraíba a orla marítima do município de Cabedelo, possui formas que resultantes da interação da dinâmica dos processos marinhos, através do oceano atlântico de um lado, e do outro lado, da dinâmica fluvial, por meio do Rio Paraíba. A área de estudo se encontra inserida na porção do litoral da cidade de Cabedelo, na praia de Formosa. De modo que o estudo possui como principal objetivo compreender o processo erosivo que ocorre na praia de Formosa a partir do uso e ocupação da linha de costa, através da caracterização morfodinâmica desta área. A determinação da localização dos perfis foi predefinida por uma observação do uso e ocupação da porção litorânea. Foram selecionadas três localidades ao longo do trecho, adotando como referencial a grande mobilidade e a construção de edificações na linha de costa. Sendo realizadas medições topográficas (mês-a-mês) e coleta de sedimento (estação chuvosa, estação seca e duas intermitentes), no período entre Abril de 2014 a Abril de 2015. Após análise dos dados, foi possível observar nos três pontos monitorados que a zona da pós-praia é a que mais ocorre dinâmica, enquanto nas outras duas porções quase não se notam modificação. Na granulometria, ficou perceptível que na porção de pós-praia e praia são compostos por areia fina, na antepraia nos pontos 1 e 2 é composto de areia muito fina, e no ponto 3 há uma variação de média a muito fina.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23318
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação p publicação (1).pdf4,37 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons