Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2314
Title: Monk: proposta de um motor de inferência híbrido para a web semântica
Authors: Ribeiro Santana, Menandro
Keywords: Web Semântica; Representação do Conhecimento; Raciocínio Automático; Lógica
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Ribeiro Santana, Menandro; Luiz Goncalves de Freitas, Frederico. Monk: proposta de um motor de inferência híbrido para a web semântica. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Devido às limitações da Web Atua iniciou-se o desenvolvimento de uma evolução da Web, denominada Web Semântica. Nesta nova Web, o conteúdo e a apresentação das informações devem estar separados e representados em uma notação adequada as novas necessidades da comunidade digital. Devido a isso, várias áreas de pesquisa, como por exemplo, a representação do conhecimento e o raciocínio automático, estão trabalhando com o intuito de tornar a Web Semântica uma realidade. Normalmente, o conhecimento é formado por várias partes e nem sempre é possível representá-lo, apropriadamente, utilizando um único formalismo de representação. Devido a isso, sistemas que lidam com representações diferentes podem ser de grande ajuda. O objetivo deste trabalho é estudar formalismos de representação de conhecimento e métodos de raciocínio automático, para propor um motor de inferência híbrido, chamado MONK, que possa ser utilizado na Web Semântica. Para a criação do MONK foi utilizado como base o projeto do sistema MANTRA. Foram mantidos os algoritmos de unificação (Martelli e Montanari) e inferência (t-entailment), pois são algoritmos decidíveis e eficientes, mas a arquitetura foi modificada para facilitar a inclusão futura de novos formalismos, como Frames, Redes Semânticas e Lógica de Descrições (usada na OWL, que é a linguagem padronizada para a Web Semântica). O MONK dá ênfase a Lógica de Primeira Ordem (baseada em uma Lógica de Quatro Valores), tornando-a seu formalismo padrão. Com isso, desde que algum formalismo possua um mapeamento para a Lógica de Primeira Ordem, ele poderá ser suportado pelo MONK sem que seja necessário implementar novos algoritmos de raciocínio
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2314
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciência da Computação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo2957_1.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.