Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22901
Título: Comparação das percepções de sucesso esportivo entre atletas de Rúgbi em cadeiras de rodas com diferentes níveis de desempenho, tempo, experiência e regime de treinamento
Autor(es): MARQUES, Allef Henrique
Palavras-chave: Atletas de Rúgb; Treinamento paradesportivo; Esportes- Deficientes físicos
Data do documento: 9-Jan-2018
Citação: MARQUES, A. H.
Resumo: A literatura tem apontado um crescente de estudos por parte do esporte de alto rendimento com pessoas com deficiência física. Em específico, o rúgbi em cadeira de rodas vem sendo um forte aliado as pessoas com deficiência física não só para proporcionar inclusão social, mas também para seu crescimento pessoal, podendo ser integrado a sua vida profissional.O objetivo do presente estudo foi verificar as associações entre a percepção de sucesso esportivo, o nível de desempenho, a classificação funcional e o regime de treinamento em atletas de Rúgbi em cadeiras de rodas da 1° e 2° divisão nacional. O estudo consta deuma abordagem quantitativa, de natureza aplicada gerando conhecimentos práticos, utilizando uma pesquisa com objetivos explicativos, envolvendo técnicas de coleta de dados, questionário, constituindo todo levantamento necessário para a pesquisa.Foi aplicado um questionário que avalia a percepção de sucesso do atleta de rúgbi em cadeira de rodas. O mesmo é constituído por doze perguntas, onde a cada três perguntas avalia a escala em nível Individual, Nacional, Internacional e Social, respectivamente. Cada pergunta é constituída pela escala de Likert, onde ela varia de um a cinco, tendo uma dimensão de sem importância a muito importante. No final foram somadas as respostas de cada nível, onde a maior pontuação é dada como principal percepção de sucesso esportivo do atleta.Verificou-se que o peso corporal reportado pelos atletas esteve significativamente associado com todas as dimensões perceptivas do sucesso esportivo (SE individual, r= -0,434; SE nacional, r= -0,422; SE internacional, r= -0,375 e social, r= -0,445). De modo similar o IMC também esteve associado de maneira significante, mas apenas com as dimensões SE nacional e SE internacional (r= -0,450 e r= -0,513, respectivamente). Diante de todas as evidências, observa-se uma alta correlação entre os indicadores demográficos e de treinamento, como peso corporal e IMC de forma positiva. Já a relação da idade com o SE internacional e SE social os resultados obtidos foram de forma negativa.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22901
Aparece na(s) coleção(ções):TCC - Educação Física (Bacharelado)

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MARQUES, Allef Henrique.pdf798,65 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons